A Falácia do Valuation no Buy & Hold

sexta-feira, 7 de fevereiro de 2014

Amigos, muito tem se discutido na blogosfera sobre a importância e efetividade do valuation (análise de preço justo) na hora hora de comprar ações. Algumas discussões tem levado blogueiros à loucura, muitas vezes com trocas de ofensas e explicações inconclusivas. O fato é que tem sido muito difícil chegar a uma conclusão sobre qual seria o melhor método de investimento, pois existem vantagens e desvantagens em cada um.



Eu mesmo já publiquei um post que deu bastante pano pra manga em http://economicamenteincorreto.blogspot.com.br/2014/01/valuation-e-legal-mas-e-o-risco.html. Onde destacava a importância e os perigos do valuation em termos de risco.

O ponto que muitos investidores adeptos ao Buy & Hold não entendem é que a qualidade da carteira e o poder dos juros compostos é muito, mas muito, mais importante para o Holder que propriamente a arte de acertar no preço justo das empresas.

Em muitas das discussões, adeptos da teoria de que os preços são muito importante para o investidor defendem que ao acertar o preço justo, o investidor terá mais ações com o mesmo dinheiro, pois comprou mais barato, desta forma irá ser muito mais bem sucedido que alguém que não tem a habilidade ou não se importa muito com preço.

Já a corrente que defende a teoria de que ao aportar mensalmente em empresas boas o investidor não precisa prestar atenção ao preço, e uma vez que os aportes são constantes, na média o investidor terá um preço de compra condizente com o que foi a empresa no período. Portanto isso não faz muita diferença para o investidor adepto ao Buy & Hold, dispendendo este muito menos tempo nos investimentos se comparado com aquele que tem que mergulhar nos cálculos de valuation.

Bom, esta é uma discussão que não tem fim, estão resolvi fazer algumas simulações para testar as possibilidades e desta forma cada um tira suas próprias conclusões.

Para ilustrar, foram criados 2 personagens fictícios (Precinho e Lentinho), ambos adeptos ao Buy & Hold, com metodologias semelhantes de aportes periódicos mensais de mesmo valor (R$ 1.000,00). Para esta simulação está sendo desprezada a existência de inflação (inflação zero) e todos os rendimentos são líquidos e reais.

Personagem 1 - Precinho: um sujeito um tanto inquieto que já explorou diversas metodologias de investimento, leu Os Axiomas de Zurique, perdeu dinheiro com Análise Técnica e Day-Trade, Opções, etc. Depois de muito apanhar na bolsa ele chegou a conclusão que a melhor metodologia para ele é o Buy & Hold, mas ele entende que é fundamental gastar tempo acompanhando as cotações de maneira a encontrar as melhores oportunidades de compra, pontos de entrada baseado em preço justo.

Personagem 2 - Lentinho: um sujeito mais tranquilo, meio desligadão, que nunca investiu na bolsa, mas que um dia assistiu a uma palestra sobre Buy & Hold e resolveu que ao invés de investir em fundos de renda fixa e ações ele iria estudar empresas e montar uma carteira de ações diversificada e investir mensalmente, seguindo uma estratégia de alocação de ativos mantendo a carteira balanceada.

Bom, vamos ver como nossos personagem se saem em suas aventuras:

Ambos investem mensalmente 1000 reais durante 360 meses (30 anos). O Precinho utiliza técnicas de valuation para avaliar o melhor momento de comprar, já o Lentinho compra a mesma ação no preço que está no dia que tem que comprar.

Situação 1)

Nesta simulação o Precinho consegue ser 3% mais eficiente que o Lentinho nas compras e com isso ele tem uma rentabilidade 3% maior nos aportes ao longo do primeiro ano de cada aporte. Isso significa que o dinheiro aportado naquele ano rende 3% mais que os aportes feitos pelo Lentinho ou que ele tem 3% mais ações na carteira. Como as carteiras são idênticas, a rentabilidade da carteira acumulada é idêntica em termos percentuais.

Resumo:

Índice de eficiência nos aportes do Precinho: 3%
Carteira Idêntica (empresas e pesos)
Rentabilidade média anual das carteiras sem contar o aporte: 4% (em ambas, lembre-se que refere-se a rentabilidade real, descontadas taxas e inflação)

Resultados:



Percebe-se que ao ser 3% mais eficiente nas compras, o nosso amigo Precinho consegue uma vantagem de aproximadamente 3% no patrimônio, portanto de um total de R$ 708k, ele acumula R$ 20,5k a mais que o nosso amigo Lentinho que acumulou um total de R$ 687,5k.

Situação 2)

Não conformado em ter só 3% de eficiência nos aportes, nosso amigo Precinho leu vários livros de Valuation, todos os livros sobre Warren Buffett, Benjamin Graham e Damodaran, pois afinal de contas, a bolsa é muito volátil e não é aceitável ganhar só 3% sobre alguém tão desligado como o Lentinho. Após muito estudo, Precinho elaborou um método onde consegue encontrar boas oportunidades com preço justo e ganho de 8% de eficiência nas compras, portanto significa dizer que na média o Precinho consegue comprar as mesmas ações que o Lentinho com 8% de desconto.


Resumo:

Índice de eficiência nos aportes do Precinho: 8%
Carteira Idêntica (empresas e pesos)
Rentabilidade média anual das carteiras sem contar o aporte: 4% (em ambas, lembre-se que refere-se a rentabilidade real, descontadas taxas e inflação)

Resultados:




Percebe-se que ao conseguir ser 8% mais eficiente nas compras, o que significa dizer que Precinho tem relâmpagos de genialidade, ele consegue uma vantagem de aproximadamente 8% no patrimônio, portanto de um total de R$ 742,3k, ele acumula R$ 54,8k a mais que o nosso amigo Lentinho que acumulou um total de R$ 687,5k.


Situação 3)

Nosso amigo Lentinho ficou indignado com sua indisciplina e relaxo e começou a estudar melhor as empresas, desta maneira, ele conseguiu montar uma carteira com melhores empresas que o amigo Precinho, pois como ele não olha preço, ele teve a chance de comprar nos últimos anos empresas consideradas "caras" como Ambev, Ultrapar, M Dias e EZ Tec. Além disso, Lentinho fica mais atento aos balanços e tem uma carteira mais diversificada, minimizando riscos e fazendo escolhas mais adequadas de entrada e saída. Com esta nova abordagem, ele não fica preso ao preço e mantem uma carteira na média mais consistente que seu amigo, o que lhe garante um retorno de 5% ao ano ao invés de 4%, desta forma sua carteira rende 1 p.p. a mais que a carteira de seu amigo Precinho, mesmo sendo menos eficiente nas escolhas no curto prazo.


Resumo:

Índice de eficiência nos aportes do Precinho: 8%
Carteira:
- Precinho, boas empresas mas as compras são orientadas a preços o que limita a escolha das melhores empresas
- Lentinho, boas empresas e boa metodologia de gestão, o que torna sua carteira mais robusta no longo prazo
Rentabilidade média anual das carteiras sem contar o aporte:
- Precinho: 4% 
- Lentinho: 5%

Resultados:





Percebe-se que devido aos juros compostos, uma carteira com 1 p.p. de rentabilidade superior, consegue ultrapassar a rentabilidade de uma carteira com 8% a mais de eficiência na compra/aporte. Desta maneira, em aproximadamente 180 meses (15 anos) a carteira com melhor rentabilidade ultrapassa e começa um distanciamento que tende a ser exponencial (ao invés de linear como nos casos anteriores). Lentinho termina o período de 30 anos com 10,2% mais capital, portanto com R$ 818k no total, sendo R$ 75k a mais que seu colega Precinho que terminou com R$ 742k.

Situação 4)

Bem, nem tanto ao céu e nem tanto à terra, vamos chegar a conclusão que é muito difícil alguém ter um um índice de eficiência nas compras de 8%, bem como alguém ter uma carteira 1 p.p. acima pode ser complicado. desta maneira foi elaborado um cenário onde Precinho consegue montar uma carteira mais eficiente no longo prazo e Lentinho, por sua vez, melhora nas compras, tornando-se menos ineficiente. Ficando portanto o índice de eficiência nos aportes em 4% e a carteira do Lentinho com rentabilidade de 0,5 p.p. acima.

Resumo:

Índice de eficiência nos aportes do Precinho: 4%
Carteira:
- Precinho, boas empresas mas as compras são orientadas a preços o que limita a escolha e compra de ações
- Lentinho, boas empresas e boa metodologia de gestão, o que torna sua carteira mais robusta no longo prazo
Rentabilidade média anual das carteiras sem contar o aporte:
- Precinho: 4% 
- Lentinho: 4,5%

Resultados:






Nota-se que o fator rentabilidade da carteira exerce diferença importante sobre a rentabilidade total, pois apesar de Precinho ter conseguido somente 4,84% a mais de patrimônio, a diferença não é linear, portanto uma carteira melhor tende a dar resultados melhores no longo prazo devido aos juros compostos. Lentinho portanto termina o período de 30 anos com R$ 749k no total, sendo R$ 34k a mais que seu colega Precinho que terminou com R$ 714k.

Conclusão

O principal destaque é que, para carteiras idênticas, onde um comprador é mais eficiente nas compras, o ganho será sempre linear, ou seja, ao ser 3, 10 ou 20% mais eficiente nas compras, o ganho será praticamente de 3, 10 ou 20%, respectivamente no final do período.

Por outro lado, quando o investidor tem a liberdade de esquecer os preços e focar seus aportes e investimentos nas melhores empresas, mantendo uma boa metodologia de avaliação constante das empresas, escolhendo momentos adequados de entrada e saída (não baseado em preços, mas em valor), este mesmo investidor tem uma chance de conseguir um ganho que pode ser exponencial no longo prazo, fruto da eficiência dos juros compostos, a força mais poderosa do universo, segundo Albert Einstein.

Qual sua conclusão? Por favor compartilhe nos comentário abaixo.

95 comentários

  1. Muito interessante a sua análise EI,

    Muito bem feita e muito bem explicada.
    Gosto de utilizar a questão do Valuation ou Compras Mensais Sem Analisar A Cotação como uma questão digamos... que beira ao xiitismo.

    Assim como nas religiões, você pode escolher a que melhor se encaixa para sua estratégia.

    Por exemplo,
    Para pessoas que possuem tempo de análise, o valuation pode ser uma boa opção, onde o investidor pode verificar qual seria o momento ideal para se entrar em um determinado ativo. O lado bom, é que o preço médio normalmente tende a ser menor do que o preço médio das compras mensais.
    Vendo isso, podemos dizer que é semelhante ao muçulmano, que faz as suas preces todos os dias, e verifica sempre com o seu Deus se está no momento certo de fazer aquilo que tem que fazer.

    Você também pode querer utilizar as compras mensais. Você se beneficia mais dos juros compostos e não precisa de muito tempo para dedicação, você simplesmente analisa qual ativo comprar, dá a ordem e pronto, fim da história. O problema desta estratégia é que você pode comprar vários topos em tendências de altas exacerbadas de médio prazo.
    Seria como ser um católico. Vai a igreja uma vez por mês para fazer a obrigação e pronto, faz a obrigação e nada mais.

    Você também pode fazer como a tática do Uó, de utilizar as análises técnicas de gráficos para encontrar os melhores momentos de compra trimestrais. Você analisa os preços uma ou duas vezes por semana para ver se chegou no preço que você gostaria e pronto.
    Seria como ser um evangélico. Vai duas ou três vezes na missa, faz a lição de casa e segue a risca o que deve fazer.

    Ou você pode também seguir a minha estratégia que faz um mix de todas as outras, verifica qual o melhor momento para a compra em apenas um dia do mês dado o preço e lucro dos determinados ativos pré escolhidos e pronto. Manda a ordem de compra no preço da pedra.
    Seria como ser um ateu. Pega tudo o que acha interessante e pronto, segue aquilo e foda-se o resto. :)

    Uta!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Estag,

      hehe, eu já acho que as discussões sobre este assunto são pesadas, eu que não quero colocar religião no meio, pois aí o assunto vai mais longe ainda, rsrsrs

      Mas acho que os exemplos que deu fazem sentido se pensarmos que na prática cada um acredito naquilo (ou no Deus) que é melhor pra si e na prática todos estão certos, pois o mais importante é a pessoa agir corretamente e seguir princípios de bondade e justiça. No caso dos investidores os princípios não são bem estes mas tudo bem.

      Valeu! Abraços.

      Excluir
  2. E.I. veja bem, não consigo entender como algumas pessoas não enxergam que comprar mais barato é obviamente melhor... Puxa, você faz isso no seu dia a dia, seja no mercado, na padaria, na livraria, mas na bolsa não!!!! Na bolsa é diferente....

    Olhando os números absolutos, na situação 2 pode-se pensar que 54k é muito pouco de diferença após 30 anos, mas veja bem a pegadinha : o aporte é de apenas 1000 reais, e assim esses 54K correspondem a um percentual de 17 % do valor total final obtido por lentinho!! A meu ver é muita diferença SIM!

    Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Será que o problema é comprar ou não mais barato... ou comprar todos os meses ?

      UTa!

      Excluir
    2. Guardião,

      Sócio tem que querer comprar cada vez mais caro. Foi melhor comprar OGXP3 cada vez mais barato ou EZTC3 cada vez mais caro? Quanto mais barato suas ações ficam menos patrimônio você tem!

      Abração!

      Excluir
    3. Ok pessoal. Não quero ser o dono da verdade, mas realmente acho que vocês estão vendo muito vídeo do Bastter. Se o fato dos 54K corresponderem a 17% do total de 30 anos conseguido pelo lentinho não os convenceu, nada mais o fará!

      Excluir
    4. Guardião, eu não tiro a sua razão, mas acho importante levar em consideração alguns pontos:

      1) Quão mais barato alguém consegue comprar quando comparado com alguém que compra mensalmente? Na boa, 8% eu acho muito, um exagero, mas se você acha que consegue esta taxa de 8%, muito bem, você está bem acima da média. O Mobral conseguia uma taxa absurda, mas o Mobral não era Holder, ele fazia trade com turnaround, desta maneira assumia um risco imenso.

      2) você está dizendo que são 17%, mas não pode considerar isso, tem que considerar que um terminou com patrimônio 8% maior que o outro. Os 17% não fazem sentido para efeito de comparação. Usar os nros absolutos também não vale. Mesmo assim eu não estou dizendo que 8% é pouco, pois nesta taxa do estudo (4% a.a), seriam quase 2 anos de diferença entre um investidor e o outro, mas como eu disse no ponto acima, para ter 8% de eficiência, na minha opinião, o cara precisa ser um gênio e só faz por meio de trades.

      3) Ao comprar ações com metodologias mais agressivas, muito provavelmente você terá uma carteira com ações de empresas "piores", o que torna a rentabilidade da carteira, na minha opinião pior. Eu particularmente acho a comparação com a situação 4 bem factível com a realidade (4% de eficiência nos aportes X 0,5 p.p. na carteira). Vemos que a diferença nesta situação não foi muito grande.

      Veja bem, eu fiz este estudo para tentar entender e tirar uma conclusão, mas não estou aqui propagando o que prega o Bastter, apenas estou chegando as minhas conclusões sobre o cenário mais aceitável para mim. Se você chegou a conclusão diferente, excelente, pois eu concordo que as opiniões devem mesmo ser diferentes.

      Se olharmos bem, cada cenário tem suas vantagens e desvantagens, portanto não existe melhor ou pior, apenas aquele que cada um deve acreditar ser o melhor para si.

      Abraços

      Excluir
    5. IL, entendo seu comentário, mas tenho que concordar que é um exemplo que não podemos levar em consideração, pois OGX não se enquadra em critérios para o estudo. Veja que o estudo considera que nas situações 1 e 2 as ações compradas são exatamente as mesmas, porém a diferença é o índice de eficiência.
      Abraços

      Excluir
    6. Guardiao, achei sua comparacao com o nosso dia a dia muito interessante, vou refletir mais sobre isso

      Excluir
  3. Bela postagem EI!

    Sua simulação só comprova que o pequeno investidor deve se preocupar em comprar VALOR e não ficar nessa besteira de não comprar determinado ativo porque ele está "caro".

    Abração!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. IL, obrigado.
      Eu também acredito que o melhor para o investidor é comprar valor não se importanto com preço. Porém mesmo assim, é importante verificar que cada cenário deu um resultado diferente, não apresentando diferenças tão significativas, desta forma, para mim os estudos para encontrar as empresas certas são ligeiramente mais importantes que as técnicas de valuation.
      Abraços

      Excluir
  4. caralho, vamos falar de novo sobre isso??? vamos falar de coisa boa, como da nova tecpix!

    Então... eu vou falar como eu faço, que não deve ser entendido como o certo, pois se eu soubesse fazer o certo, estaria rico.

    1) escolhidas as ações da carteira, mediante analise fundamentalista, farei compras mensais, exceto se cair o céu, por tutatis, e eu não tiver aporte.

    2) já sei oque vou comprar (compare com a lista de compras do supermercado), olho as promoçoes... não tem muito como fazer isso?

    acho que tem... analise grafica

    3) de todo jeito, irei comprar com a grana do aporte.. mas o que? olho as Medias Moveis e o Indice de Forca Relativa... se o papel estiver mais como sobrevendido, espero uns dias até ele reagir um tiquinho pra cima e entro comprado. se o papel 1 não estiver interessante (tendencia de alta etc), vou lá e compro outra coisa mais interessante, que esteja saindo da zona do agrião, ou seja, que está saindo da zona sobrevendida, proxima do suporte... não compro mais nada perto da resistência, tomei forte no rabo, estou até hoje com quase -40%...

    4) isto feito e considerando que o aporte se foi, vou cuidar da vida até o mes que vem.

    não sei se tenho me iludido com isso, mas é melhor comprar cielo, por exemplo, a 62,50 como fiz esta semana, do que a 67, como fiz há uns meses, do que a 65, como fiz mes passado. notem que estou usando o exemplo porque estou me concentrando em comprar cielo e a cada pequena variaçaõ pra baixo que encontrou suporte, entro comprando, porque aparenta que não cairá (pelo menos não muito), nos proximos dias... pode ser que no caso, caia pra 58, ou 60... mas dai pouco importa....

    não acho sadio nem comprar a qualquer preço nem ficar nessa de dinheiro paradão sem compra alguma atéee aparecer uma janela de compra...

    é por ai que faço, não tem muita ciência, já que o mercado é imprevisível, mas é melhor do que sair deixando 10% na mesa de cara... deixa 3 ou 4%, isso dá diferença no final...

    porra, não tem segredo, toda ação sobe e desce, até as poderosas ambev, cielo, tudo sobe e desce (nem que seja 5 ou 10 reais), compre no dia que começa a subida depois de uma leve ou acentuada descida e seja feliz...

    abraço.

    Victor.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Victor, este assunto realmente tem sido repetitivo, mas tenho que confessar que é o assunto que mais me atormenta no momento, portanto tenho tentado ler, estudar e simular muito sobre o assunto. Visto as discussões que tenho tido em outros blogs, rs

      bom, este é o seu método, se está feliz, parabéns e a vida segue. Existe alguma garantia que será mais eficiente que outros métodos? penso que não e o post acima demonstra que a linha é bem tênue, mas também nada indica que não será eficiente. Um ponto importante é que quanto maior a carteira acumulada, menos importante é a eficiência nos aportes, pois faz pouquissima diferença em uma carteira formada.

      Veja que interessante, no ranking que você publica, com resultado anual de 2013, tivemos o DH em primeiro e Troll em segundo, um dado interessante é que o DH teve rentabilidade muito superior ao Troll (isso se deve a composição da carteira com parte em RF e possivelmente pela agressividade nos aportes). Para uma carteira de 120k isso faz bastante diferença na rentabilidade. Já o Troll tem uma carteira muito maior e certamente é muito mais complicado ter uma rentabilidade muito acima da média, pois as ações já estão lá e tenho certeza que os aportes não foram os grandes responsáveis pela rentabilidade, mas sim a composição da carteira e as ações que já estavam lá no início do ano. O ponto é, quanto maior a carteira, menos relevantes são as estratégias de aportes, pois impactam minimamente o resultado final.

      O Mobral já tinha uma estratégia diferente, muito mais de Trade, pois apostava em turnaround. Para o tamanho da carteira dele, faz bastante diferença, mas se ele tivesse uma carteira com R$ 1M, qual parte ele iria usar para fazer trades, 10% ou iria arriscar 1M. Se usar 10%, vamos ver que isso impactará pouco na rentabilidade no final do ano, pois a parte mais importante será na carteira que já está montada e não se altera com frequencia.

      Abraços

      Excluir
  5. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  6. Destesto estas comparações com OGX como a do investidor livre, se vai comparar as duas estratégias então compara EZTC3 com GRND3, ou outra tão boa quanto, rs.
    Mas voltando ao excelente post do E.I. que diga-se de passagem tem contribuído muito nos meus posts lá no meu blog, acredito que tanto o precinho quanto o lentinho estão certos, e a postura vai do perfil de cada um, tem gente que gosta de ficar olhando gráficos, tem gente que gosta de curtir o fim de semana e nem chegar perto, cada um na sua técnica, mas sempre escolhendo as melhores empresas, aí os dois terminaram bem a história.
    Abraço E.I.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Uó,
      Não precisa me agradecer, pois as minhas intervenções na blogosfera tem provavelmente servido mais ao meu próprio aprendizado que aos dos outros. Eu acho que temos uma blogosfera muito rica (não no sentido literal da palavra, rs), mas no sentido de colaboração e disseminação de informações. Tem sido minha principal ferramenta de aprendizado. Temos que nos esforçar muito para manter esta comunidade saudável e colaborativa, e você tem sido um dos principais personagens para o crescimento da blogosfera.

      Deixando a rasgação de seda de lado e voltando ao seu comentário, eu já disse acima que a comparação OGX x EZTEC não faz sentido, pois se pegarmos as situações 1 e 2, considero que as ações compradas são as mesmas. Além disso OGX não se enquadra no perfil de empresas que estamos falando para o Holder.

      Mas é isso aí, cada um na sua. O que eu quis mostrar no post é que não podemos ser tão xiítas em afirmar que existe somente uma verdade, pois os exemplos mostram que isso não é tão claro, nem para um lado e nem para outro, pois vai depender do perfil de cada um.

      Valeu! Abraços.

      Excluir
    2. Uo,

      Eletropaulo, Agrenco, Usiminas, Parmalat, Unipar, todas essas empresas o investidor foi comprando as ações cada vez mais baratas. E quem comprou Vale, Itaú, Souza Cruz, Ambev foi comprando as ações cada vez mais caras. Nesses dois cenários, qual dos dois investidores se deu melhor? É melhor comprar preço ou valor? Você ainda acha que é melhor comprar as ações sempre mais baratas?

      Excluir
  7. bastter, bastter, bastter.

    coincidentemente vi este video hj: (VALUATION X MANADATION) http://www.youtube.com/watch?v=VH_Vya9vs4M



    Ainda acho que o estagiario investidor possui a melhor tecnica. Uso uma ligeiramente diferente, baseada na ideia dele

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sonny,

      Eu já vi este video também. O Bastter é meio exagerado, mas se soubermos extrair os excessos é uma boa abordagem.

      A abordagem do estagiário parece interessante, mas resta saber quão efetiva é em termos de resultados. Não tenho certeza se ela pode ou não ser melhor que a média.

      Abraços

      Excluir
  8. O exemplo da OGXP3 é simbólico e serve apenas para ilustrar. O fato é que sócio tem que querer comprar cada vez mais caro.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu IL, eu entendi o que você quis dizer.
      Abraços

      Excluir
  9. I.L., me descukpa mas exemplo com OGX é n0o mínimo tendencioso, e não ilustra bulufas. Sócio precisa aceitar comprar caro sim, mas entenda que até o caro 'cicla', e aproveitar estes ciclos não faz mal nenhum, nenhuma ação sobre em linha reta, então se o sujeito quer perder tempo com os graficos problema dele, se isto vai maximizar os ganhos pode até ser que seja, mas como o próprio E.I. tentou demonstrar pode sr que no resultado final a maximização não seja tão grande assim.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Uó, muito bem, foi exatamente isso que eu quis demonstrar, a turma fala que valuation é questão de sobrevivência e eu quis demosntrar que não é bem assim.
      Abraços

      Excluir
  10. Cara, vc não entende mesmo o princípio do valuation.

    É melhor esquecer de fazer essas simulaçõezinhas babacas, tentando provar o seu ponto.

    Compra uma sainha e vai dançar como bastterete.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caro anônimo, fico frustrado em ver que a simulação não lhe foi útil em nada, pois para mim foi excelente. Certamente haverão novas simulações que espero que sejam mais úteis.
      Sua sugestão para comprar uma sainha será analisada.
      Um abraço e volte sempre.

      Excluir
  11. Pessoal, eu acho o assunto interessante.
    Entretanto, temos que ter em mente que nenhum grande investidor diz que não faz diferença o preço de compra.
    É claro que se você fizer aportes constantes durante 30 anos em ativos razoáveis, o resultado financeiro vai ser bom, pois você criou poupança durante um período grande de vida.
    Talvez seja o melhor método para pequenos investidores, e pessoas com aportes pequenos.
    Essa estratégia serve para quem tem 3/4 milhões para investir? Ou para um gestor de fundo de pensão?
    Portanto, quer comprar bons ativos, com aportes regulares, ótimo.
    EI, vi que você gostou do posto do "Investindo em Valor". Aquele gráfico é bem conhecido na MPT( Modern Portfolio Theory). O gráfico foi baseado no mercado americano, e segundo essa perspectiva com 30 ações você consegue diluir muito o risco não-sistêmico, pois o risco sistêmico por definição não é diversificável.
    Logo, se você aplicar o mesmo raciocínio para FII, podemos falar que uma carteira terá algo em torno de 40 ativos.
    Eu opero pela MIRAE com corretagem de menos de R$ 3,00, e considero que aportes por ativo é no mínimo R$1.500,00 para já não começarmos muito no negativo com pagamento de comissões (imagina com corretoras com corretagem bem maior como R$ 10,00?). Vou dar um desconto, e considerar um aporte de R$ 1.000,00. Para você aportar em todos os seus ativos você teria que ter R$ 40.000,00. Se uma pessoa salva 50% do salário, o que é excepcionalmente alto se considerarmos a média brasileira, e possui um salário líquido razoável, mas não tão alto de R$ 7.000,00, ela demoraria um ano para fazer aportes em toda carteira. Portanto, se você der o azar do aporte em BBAS3 no ano de 2012 ter pego a R$ 28,00, e no aporte de 2013 ter pego a R$ 29,00, você terá pego topos do mercado, e o resultado será inferior.
    Você ao final provavelmente terá formado uma boa poupança, mas isso vem da capacidade de economizar, mas talvez o resultado não seja o melhor.

    Abraço a todos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. por isso que eu insisto na historia de olhar a tendencia do papel que eu escolhi comprar previametne... se o BBAS3 fez topos em 28, 29 não é nessa faixa que eu vou comprar.

      voce falou bem: "TEM QUE ACEITAR COMPRAR MAIS CARO". sim a tendencia é que aumente mesmo. MAs o dia que o mercado vira o cu no avesso e todo mundo sai vendendo coisa boa de 30 por 20 é hora de passar o rodo...

      pra mim, o importante é SEMPRE FAZER COMPRAS nas empresas previamente estudadas E COMPRA-LAS EM NIVEIS SAUDAVEIS COM MARGEM DE SEGURANCA.

      porra, todo mundo sabe que as ações naõ sobem e descem sempre juntas. Esse mes cai CMIG, mes que vem cai AMBEV, por que voce tem que comprar justo no mes que ta subindo? SARDINHATION???

      Abraço

      Excluir
    2. esqueci de dizer: voce ACEITA comprar mais caro, não é VOCE TEM QUE QUERER. Tenho o caralho que querer! eu quero que a empresa me DE GRATIS ações todo mes, quanto menos grana eu "gastar" para ter o melhor, maior meu custo/beneficio.

      Victor

      Excluir
    3. soulsurfer, seu comentários são sempre os mais difíceis de serem respondidos, pois você tem tanto conhecimento que fica complicado responder sem prestar atenção aos detalhes. Espero que eu consiga aqui.

      Bom, você entendeu o ponto, esta frase "É claro que se você fizer aportes constantes durante 30 anos em ativos razoáveis, o resultado financeiro vai ser bom, pois você criou poupança durante um período grande de vida." reflete exatamente meu pensamento. Eu não quero ficar rico na bolsa, mas quero ter um resultado financeiro maior que a média e acho que a bolsa pode me proporcionar isso seguindo minha metodologia.

      Só não concordo que seja para pequenos investidores, pois alguém que tem 3, 4 ou 10 milhões pode seguir esta metodologia muito bem e será bem sucedido da mesma forma. ou o cara que tem 10 milhões tem que comprar 1 milhão por vez ou vai comprar um pouquinho todo mês?

      A comparação com fundos de pensão não é válida, pois certamente um fundo de ações ou um fundo de pensão tem mecanismos muito mais sofisticados para investir seus ativos, fazer hedge e outras coisas, coisa que o investidor invididual, independentemente da quantidade de patrimônio, não tem.

      O ponto da diversificação é isso mesmo, quanto mais diversificar, menos risco, mas por outro lado tem que lidar com situações de aportes menos frequentes em ativos individuais. Porém, você cita um exemplo com a compra de BBAS3 a 29, legal, mas quem me garante que em outro mês eu não fiz uma compra melhor que você, ou no mês que BBAS caiu para 20 eu aportei em CRUZ3 mais barato que o preço que você mesmo tem em CRUZ3. Quem fez melhor compra? Ninguém consegue prever o futuro e o fato de deixar de comprar BBAS a 28 é sim uma forma de tentar prever o futuro. Eu prefiro comprar BBAS3 quando tem que comprar e CRUZ3 quando tem que comprar, pode ser que num momento eu perca e noutro eu ganhe, paciência. Mas foi justamente sobre isso que eu tratei no post. Qual o índice de eficiência nos aportes? 3% é alto ou baixo? e 8%? as variáveis estão aí e cabe a cada um encontrar o melhor para si.

      Outro ponto é que para uma carteira já formada, os aportes fazem menos diferença ainda, pois o impacto é menor. Vou pegar mais informações dos estudos, mas a partir de um determinado valor de carteira, quem é 8% mais eficiente nos aportes tem uma vantagem infima sobre a rentabilidade da carteira de quem não é tão eficiente. Se não me engano o cara ser mais eficiente nos aportes em 8% representava 0,10% a mais de rentabilidade no ano.
      Podemos então chegar a conclusão que para quem está iniciando, pode ser bom usar valuation para ter rentabilidade maior, porém por outro lado, em valores absolutos, a diferença lá no longo prazo pode não ser tão significativa assim.
      Mais uma vez agradeço o comentário sempre construtivo.
      Abraços

      Excluir
    4. Victor,

      As variáveis estão aí no estudo, quão mais eficiente você sugere ser nos seus aportes? faça a conta e chegue a suas próprias conclusões.

      Acho que deveriamos fazer um ranking para analisar quais os preços médios que cada investidor conseguiu ao longo do ano em cada ação, assim teriamos um parâmetro para ver quem comprou melhor. Não serviria para ver a eficiencias das carteiras como um todo, mas poderia nos dar um parâmetro de ações individuais. Você comprar BBAS3 este mês a 20 não significa que você fez compras mais eficientes que eu que comprei CRUZ3, CCRO3 e HGTX3.
      Abraços

      Excluir
    5. porra, pra q chover no molhado?

      se vai falar a msma coisa, era mais facil criar um post indicando os videos do bastter...

      Excluir
    6. Sonny, a informação aqui não é unidirecional como no Bastter.com e nos videos dele. Aqui estamos num espaço para debater que é democrático. Pelo menos para mim tem acrescentado bastante.
      Abraços

      Excluir
    7. EI, grato pela gentileza de suas palavras.
      Sim, você tem razão em relação aos fundos de pensão, por isso destaquei que essa forma não seria a melhor pare eles.
      Sobre a pessoa com alguns milhões, talvez você tenha razão. Quando escrevi o exemplo, eu pensei na pessoa fazendo grandes aportes, mas realmente ou a pessoa sabe o que está fazendo, ou é melhor diluir esses aportes.
      Acho que todos os ponto de vista já foram bem explorados e debatidos nos bons posts sobre valuation.
      Eu ainda acredito que há ativos muito bons, mas com preço esticados. Podem vir a ser uma ótimo investimento, ou não.
      Não creio que simplesmente o fato de uma empresa ser boa, com fundamentos bons, justifique a compra, mesmo que com aportes parciais.
      É uma questão de estratégia mesmo.

      O que, como nós concordamos, é importante é economizar, não gastar dinheiro em besteiras, gastar com aquilo que nos faz bem, e procurar ter uma boa vida. Se fizermos isso aplicando em bons ativos, com certeza o resultado no futuro terá valido a pena.

      Concordo plenamente. Ficamos ricos, se alguém tem essa pretensão (a minha é ser rico de espírito), com o trabalho e com os juros compostos em dezenas de anos. Quer ganhar muito dinheiro com empresa? Vai empreender. Tenho um amigo que veio de origem humilde, hoje tem 50% de uma empresa que vale 20M, e possui dois galpões logísticos para alugar com preço pedido de 65K cada, e ele possui 35 anos. Ou seja, ganhou dinheiro se arriscando e empreendendo. Não será fazendo Valuation para aportar 30/40/50k que vamos ter retornos excepcionais.

      Abraço!

      Excluir
  12. EI,
    Muito bom o post. E concordo com sua conclusão!
    Adoro posts com simulações.
    abs!

    Investidor Defensivo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tem que querer comprar mais caro sim. Ação mais cara significa mais valor que significa mais patrimônio. Qual a dificuldade de entender isso?

      Excluir
    2. jose silva-ID,
      Que bom que o post foi útil para algumas pessoas. Este era o objetivo.

      IL, isso mesmo, mais caro=mais valor, eu também penso assim

      Abraços

      Excluir
  13. Fico feliz de ver a blogsfera tão rica de debates! Por um lado muitos estão questionando o papel do Estado na economia e outros membros focam nas estratégias dos investidores. Sobre o tema desse post:

    Quem descobre a prática de Buy & Hold fica encantado com ela, pois ela diz que vc pode fazer o dinheiro trabalhar para você, sendo que sua preocupação depois de analisada a(s) empresas é só de rever a situação dela a partir de fundamentos (balanço patrimonial por ex.).
    O problema é que o jogo das empresas é muito dinâmico. Trabalhei em um fundo de pensão e percebi lá que muitos fatores modificam o preço - cotação - das empresas, e muitas vezes esses fatores não são fundamentos. Agora o Holder vai dizer que isso não importa, pq ele se preocupa com os rendimentos daquela ação e não com um o preço de compra, porque vai ser os rendimentos que vão trazer a IF. Sim, mas a própria lógica do holder é ter cada vez mais títulos que tragam para ele a IF. Por isso ele faz compras mensais, porque ele sabe que o efeito dos juros compostos é bom, mas sabe tmb que ele tem q aumentar o fator de multiplicação desses juros compostos, se não o valor que ele trouxer não é suficiente para alcançar a IF. Mas se o holder quer cada vez mais títulos para que ele possa receber cada vez mais e reaplicar cada vez mais, por que ele não deve aproveitar a valorização de uma ação para realizar lucro, ao invés de assistir o papel ganhar valor e depois cair?

    Para efeito de exemplo trago 2 empresas: BBAS3 e CMIG3. Usando o período de 2013 como parâmetro podemos ver que o holder pode perder muitas oportunidades se só quiser segurar o papel. Se um investidor comprou o BBAS3 no começo do ano de 2013 ele comprou o papel por um preço parecido com o de agora, usando o valor de fechamento do dia 15 / 02 / 2013, a cotação de bbas ficou em 22,17 e nesse mesmo dia CMIG fechou em 12,27.

    O nosso investidor segurou o papel de BBAS até o mês de outubro, onde a ação já no dia 16/10/2013 chegou a 27 e no dia 25/10 alcança 28,29, sendo nesse mesmo dia o fechamento de CMIG em 13,10.
    BBAS3 ganhou no ano até esse período 6,12 e CMIG ganhou 0,83. Se as duas empresas fizerem parte da estratégia do investidor, pq não vender o bbas, realizar lucro e comprar uma quantidade maior de cmig? O objetivo do holder é ganhar proventos, mas ele deve ter consciência de que quanto mais títulos, mais rápido ele chega a IF. Nesse exemplo o investidor também considera os rendimentos, e no caso das duas empresas em 2013 eles foram :
    bbas - 1,98
    cmig - 3,9654
    (proventos por ação, sem considerar a bonificação de 12,85 da CMIG por ser um rendimento atípico).

    Óbvio, é preciso considerar custos tmb, e assim o pequeno investidor só deve realizar lucro quando houver uma variação interessante, diferente do investidor institucional, que por possuir grande quantidade, pode ganhar com uma pequena variação. E aqui temos que lembrar tmb que uma variação pequena de uma quantidade relevante pode ser percentualmente pequena, mas dependendo da quantidade ela pode representar um valor considerável, inclusive o aporte do investidor.


    ResponderExcluir
  14. Exemplo: um investidor com R$ 35 000 numa ação, a ação valoriza 3% (R$ 1 050). Se realizar lucro, já poderia servir pra complementar o proximo aporte. O B&H é bom para trazer a disciplina para poupar, para deixar o investidor calmo quando ocorre queda da cotação e para ele entender os danos dos custos, mas quando a poupança do investidor alcançou um patamar em que uma variação pequena pode representar boa parte de seu aporte vale a pena ele realizar lucro e aportar em outra empresa que considere viável.
    E no mercado essas variações não são tão difíceis. Mesmo que falte um motivo operacional da empresa para justificar altas e quedas, algumas operacionalidades do mercado podem trazer volatilidade, como os aluguéis de ações e as opções, ou movimentos de papéis similares (ex. bancos geralmente refletem seus movimentos de altas e quedas aos seus similares).
    ...............................................................................
    Uma pena que o Mobral tenha tido que sair da blogsfera, parece que ele fazia algo parecido, se alguém que souber como era puder explicar agradeço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anonimo, isso que você está falando faz todo sentido, o único problema é que ao tentar comprar e vender na hora certa (comprar no fundo e vender no topo), corre-se um risco muito grande. Eu mesmo já tentei fazer isso no passado e desisti, pois o prejuizo foi maior.

      A abordagem do buy & hold é não vender e se beneficiar no longuissimo prazo (20+ anos). Pode até vender, mas se achar que é uma empresa que não vale mais a pena e não porque o preço está alto. Existem muitas discussões e é lógico que o investidor que compra e vende com eficiência ganha muito mais, porém somente uma pequena parcela de investidores conseguem ser bem sucedidos enquanto a maioria se dá mal. Como não quero correr o risco de fazer parte do segundo grupo, me reservo o direito de adotar uma postura mais conservadora.

      Concordo com você que é muito positivo a blogosfera discutir este assunto, pois a essência dos investidores bem sucedidos é conhecer mais sobre o assunto e tomar suas próprias decisões. Isso só é possivel para quem se envolve, estuda e discute os assuntos abertamente sem "pré" conceitos.

      Abraços e obrigado pelo comentário.

      Excluir
  15. Para o meu raciocínio abaixo, vamos considerar apenas empresas boas e não micos estilo TecToy. Quando se trata de micos a coisa toda é baseada em cotações e "valuation de verdade" geralmente fica de fora, dando espaço a especulações, esperanças e boatos. Exceto para os casos que o investidor enxerga algum potencial enorme escondido nos balanços do mico, ao melhor estilo Buffett.

    Na crise de 2008 a EZTEC estava a R$2. Ninguém conhecia direito a empresa (o IPO era recente) e ela estava sendo considerada pelo mercado como mico. Detalhe para o balanço: o que ela tinha em caixa era superior ao preço de mercado. A própria empresa avisou formalmente ao mercado dessa distorção nas cotações, e mesmo assim ficou meses estagnada nos R$2... Mesmo sendo uma empresa até então desconhecida, será que não valia uma alocação? O mercado achou que não.

    Dificilmente ela vai voltar para os R$2,00 de 2008. Ela se mostrou uma empresa excelente, com alto crescimento. Mas nem por isso vou compra-la por qualquer preço. Vou comprar pelo preço que considero justo, segundo os meus critérios. O Bastter supõe que o mercado não é louco, mas é totalmente insano sim! Sempre tem ativos com cotações bastante infladas sem uma razão aparente.

    Segundo Graham, as ações ficam mais arriscadas conforme as cotações sobrem, e menos arriscadas quando as cotações caem. A empresa continua sendo a mesma, só o humor do mercado mudou. Será que Banco do Brasil a R$29,00 era melhor que Banco do Brasil a R$21,00? Será que na época que BBAS3 estava a R$29 não havia um ativo mais descontado disponível no mercado? Se BBAS3 subisse para R$40 ou R$50 continuaria comprando para B&H?

    "O retorno futuro de um investimento depende do valor que você pagou por ele. Quanto mais caro você pagou, menor será o retorno." (B. Graham) É bem óbvio... mas tem gente que não quer ver isso.

    Enquanto tiver gente seguindo o modelo Bastter, melhor para mim!!! Eu consigo vender minhas ações supervalorizadas em momentos de euforia do mercado. Se os lucros da empresa não acompanham as altas na cotação, é candidata para ir para a vala...

    A princípio eu compro ações para ficar com elas para sempre, mas surgem momentos que a venda é inevitável, até mesmo para gerar caixa para entrar em uma outra oportunidade de mercado. Pode chamar de trade, seja lá o que for. Dá uma diferença de ganhos significativa sobre o IBOV, e é uma diferença brutal a longo prazo!

    O que funciona no método Bastter é dizer ao investidor iniciante em bolsa para ele não entrar em desespero se a cotação na bolsa cai. O problema é dizer que pode comprar cada vez mais caro porque a empresa está crescendo, o que não é bem assim, pode até valer para uma empresa como a EZTEC que cresce muito mas não vale como regra geral no mercado... seria lógico se o mercado realmente fosse eficiente, mas o mercado não é assim de forma alguma. Existem muitas distorções e o investidor que se aproveita dessas distorções para comprar e vender ações se sai bem.

    Mais um ponto, as barbaridades ditas pelo Bastter em relação aos dividendos. Sem dividendos, não existe mercado de ações: Seja pelos dividendos atuais de empresas maduras ou pela perspectiva de futuros dividendos de empresas em crescimento. Simples assim. Se o tal do vendedor de cursos não consegue entender isso ou quer distorcer as coisas para vender as tralhas, sinto muito...

    Para completar, andei dando uma olhada nos fóruns do Bastter, os foristas são doutrinados para seguirem a linha de pensamento "Bastter". Qualquer opinião divergente, mesmo que seja com total respeito ou até motivada por ingenuidade de iniciante em bolsa, é esculachada de forma tão desagradável e totalmente desnecessária pelo Bastter ou pelos doutrinados, é lamentável... Sorte a minha de quando era iniciante na bolsa não corri o risco de cair nessa papagaiada, porque sequer conhecia o site...

    ResponderExcluir
  16. (continuação)
    De uma certa forma, fazia B&H no passado. Comprava ações de "empresas boas", muito parecido com o estilo Bastter! Em 2008-2009 aprendi a fazer valuation e a coisa toda mudou. Troquei todas as "empresas boas" por empresas que estavam apanhando ainda mais, porque o mundo capitalista estava acabando. Trocas como ITSA4 por EZTC3, FESA4, PINE4, TGMA3, PRBC4, IDVL4... Note que várias dessas acabaram "micando" depois, no momento da compra tinham fundamentos, mas vendi na hora certa e com lucro ao invés de ficar segurando. Por que? Porque acompanho trimestralmente os resultados, ao invés de comprar uma "empresa boa" só para deixar no B&H.

    B&H puro funciona? Até funciona bem, mas tem que se fazer muito mais aportes durante a sua vida... ;)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ahhhh, pronto, falou o George Soros brasileiro. Seth, mostre seus resultados e então podemos começar a conversar.
      Qual o patrimônio e qual a rentabilidade histórica / ano a ano?

      Excluir
    2. Seth,

      Eu entendo perfeitamente o que você está falando e faz muito sentido, a única coisa que eu acho é que estamos falando de coisas diferentes. Talvez o nome "trade" soe pejorativo e o objetivo não é esse, mas uma coisa é tentar ganhar na variação da cotação e outra é ganhar sendo sócio das empresas por períodos longos. É claro para mim que a primeira opção oferece uma oportunidade enorme, mas embute riscos também muito maiores. Desta maneira, qual o percentual de investidores que realmente são bem sucedidos fazendo isso? Provavelmente os que são bem sucedidos, são MUITO mais bem sucedidos, mas não dá pra dizer que é maioria.

      Eu gosto de comprar barato, quem não gosta? fico feliz de baixar o preço médio, o meu ponto é que eu não espero cair pra comprar, pois não tenho como saber se vai cair, mas se caiu, é claro que vou comprar. Se BBAS3 está a 28 e acho que tenho que comprar eu compro, pois deixar de comprar pode ser uma oportunidade mas também um risco (pode cair ou subir).

      Com respeito à EZTEC, eu entendo, mas comprar ela à R$ 2,00 naquele momento me parece que deveria sim ser uma aposta que poderia ter dado certo ou errado. Pelo que vi o IPO dela foi em torno de R$ 9,00 em jun/07, ela chegou a ir a 11 um mês depois e então despencou para 1,70 em out/08, permanecendo uns 6 meses neste patamar. Os mercados erram, mas quantas empresas não tiveram histórico semelhante e finalmente viraram micos? Me parece que o fato de mais de R$ 2,00/ação em caixa se tratava de dinheiro proveniente do IPO e o mercado estava em dúvida da capacidade da empresa de empregar este dinheiro devidamente, pois poderia ter empregado de maneira incorreta e então blau-blau.

      Com relação aos fóruns do Bastter, eu concordo que as grosserias são absolutamente dispensáveis. Eu particularmente não gosto das grosserias, mas não há como negar que existem muitas informações importantes no site de maneira geral (não necessariamente nos fóruns).

      Já sobre dividendos, não sei exatamente qual o ponto dele sobre isso, portanto não posso comentar.

      Eu acho que o caminho que você seguiu e aparentemente está dando certo é válido, começou com B&H, foi aprendendo, ganhando confiança em implementar métodos mais eficientes (e arriscados, porque não?) e tem colhido bons resultados, pois provavelmente os riscos são controlados. Seria ótimo se todos pensassem assim, mas o que acontece com todos que entram na bolsa é a ilusão de ficar rico com uma tacada certa, além da prepotência da maioria em achar que ele sabe o que vai acontecer e principalmente ao não assumir um erro, achar que pode reverter uma situação de perda.

      Eu particularmente não tenho grandes pretensões na bolsa, mas não porque não ache que não dá pra vencer, mas porque não tenho certeza se vale o risco. Felizmente eu tenho hoje uma capacidade de aporte muito forte e tenho convicção que se tiver uma rentabilidade média-boa conseguirei alcançar meus objetivos.

      O objetivo do estudo foi justamente mostrar informações e variáveis para tentar conscientizar as pessoas a analisarem as situações e riscos que desejam correr ao invés de viver a ilusão que é tudo fácil e rápido na bolsa, porque não é.

      Portanto, a frase que você escreveu reflete o que eu penso sobre a necessidade de ter um método que funciona bem ao invés de um que coloque o meu futuro em risco: "B&H puro funciona? Até funciona bem ..."

      Abraços e obrigado pelo excelente comentário.

      Excluir
  17. Ao Anon 13:35... Manifestei minha opinião e tudo é muito simples e amplamente documentado em bons livros de análise fundamentalista, inclusive no melhor livro já escrito sobre ações. É um pensamento nada de inovador ou espetacular há pelo menos uns 50 anos (Graham), e além de mim mesmo não tenho que provar nada a ninguém, muito menos a um anônimo... Ser não quiser acreditar, sinceramente eu não me importo a mínima... ;)

    ResponderExcluir
  18. Oi Economicamente Incorreto,
    Eu entendo a sua opinião e acho que cada investidor deve se expor ao mercado financeiro da forma que se adequa às suas necessidades e perfis de risco. Como maior exemplo de B&H na bolsa é meu próprio pai, alguns papéis ele guardou por décadas. Por isso sei que o B&H funcionou bem, mas na minha opinião como investidor acho que poderia ter sido melhor, mas nem por isso ouso criticá-lo já que seus investimentos passaram por tantos períodos turbulentos na economia brasileira (Sarney, Collor, etc.)
    PS: não consigo responder no lugar certo acho que por problemas de compatibilidade no browser.
    Obrigado e um abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Seth,
      Não sei dizer porque você não consegue postar o comentário no local adequado. Vou verificar no template se tem alguma restrição com versão do browser.

      O espaço aqui é exatamente para discussão e cada um segue sua estratégia. fico muito feliz em ouvir histórias como esta do seu pai, pois me dá mais confiança sobre o caminho a seguir.

      Abraços

      Excluir
    2. É problema no meu Firefox, usando o Chrome dá certo.
      Um abraço

      Excluir
  19. Bom, só vou comentar o seguinte: simulação fraca.

    Fora que você ainda não entendeu ao que se propõe o valuation simplesmente quando eu leio coisas do gênero: "pois como ele não olha preço, ele teve a chance de comprar nos últimos anos empresas consideradas "caras" como Ambev, Ultrapar, M Dias e EZ Tec."

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. oi dimarcinho, quanta gentileza sua. Agradeço o apoio.

      Estamos aqui diante de um mestre das finanças (você) e um estupido do mercado financeiro (eu).

      Destes um sabe ganhar dinheiro e está rico e o outro está na correria tentando ganhar dinheiro na bolsa com valuation.

      Os estudos "fracos" aqui neste blog continuarão a serem feitos por este que escreve a fim de aprimorar os estudos daqueles (eu principalmente) que querem se aprimorar através da discussão e troca de idéias, ok "diprecinho"?

      Abraços

      Excluir
    2. Valuation se propõe a deixar de investir em empresas excepcionais porque o tal de (quem?) Damoradan disse que elas estão caras. Basicamente é isso. Aí, por causa disso, as pessoas que seguem essa "doutrina" deixam de se tornarem sócios de empresas espetaculares como Cielo e Ambev, por exemplo, porque elas estão supostamente "caras". E, para piorar, esse tipo de pessoa TORCE para comprar suas ações cada vez mais baratas. Isso é caso de internação, não acha EI?

      Excluir
    3. IL, eu concordo, o ser humano gosta de se enganar.

      A bolsa está caindo forte, o cara está perdendo dinheiro e se engana achando que está ganhando. Sinceramente não consigo entender. Toda vez que cai eu fico triste. A ação de remediação é continuar comprando, mas que eu fico triste, eu fico.
      Cada um se engana com o que quiser.
      Abraços

      Excluir
    4. EI,

      Eu quero que os lucros, e automaticamente, as cotações, subam sempre igual um foguete. É inacreditável alguém torcer para a cotação de um determinado ativo cair. Inacreditável. Quanto mais as cotações caem, menos patrimônio você tem, mesmo que essas quedas sejam ruídos do mercado. Como que alguém torce para isso acontecer? Será que esse tipo de pessoa, que é dona de um imóvel, também torce para surgir uma favela ao lado do mesmo e assim desvalorizá-lo e deixá-lo mais barato?

      É coisa de louco mesmo!

      Excluir
    5. rsrsrs, é mesmo uma forma de se enganar, não tenho dúvidas

      Excluir
    6. Se vocês não sabem fazer o cálculo do preço justo, como vcs podem afirmar que esse ou aquele papel estão caros?

      Vcs só olham o P/L alto e dizem "está caro"..... rsrsrsrsrsrs

      E sim, sua simulação é fraquíssima.
      Quer fazer uma simulação decente? Crie um papel imaginário, dê indicadores para ele, calcule quanto seria seu preço justo, utilize uma distribuição gaussiana com viés de alta baseada no lucro real (faça o cálculo do preço justo com o projetado!).

      Simule vários perfis de crescimento da empresa e então verifique o DCA (aportes periódicos) vs uma técnica com valuation, além de ter que definir se haverá percentuais em portfólio ou será apenas ou sim ou não.

      Bom, se fizer isso, seria mais produtivo.

      E não sei pq vc perdeu tanto tempo fazendo cálculos. Na fórmula de aportes periódicos, se você dobra o aporte, você dobra o capital final. Coisa mais básica do planeta. Daí vc fez zilhões de calculinhos com "3% acima" kkkkkkkkkkkk
      Óbvio que o capital final será 3% acima! rsrsrsrsrsrs
      Ou seja, não precisava nem ter feito simulação. Daí concluí: simulação fraca.

      Veja, não sou mestre de finanças, muito pelo contrário estou a anos-luz disso. Mas, pelo visto, matemática financeira básica to sabendo mais q vc. rsrsrsrsrsrsrs

      E se vc não entende matemática financeira básica, fica difícil entender os meandros e funcionamentos de qq coisa no mercado financeiro, seja renda fixa ou variável.

      Agora to realmente entendendo pq vc ainda não entendeu O QUE É o preço justo. rsrsrsrs

      ps - faça a simulação acima e assim podemos discutir melhor o assunto.

      Excluir
    7. Caro dimarcinho,

      Quem disse que eu quero discutir com você? deixe de ser prepotente rapazinho... meu tempo eu gasto com coisas bem melhores como meus filhos, minha família e meu trabalho.

      Qual parte da frase que eu disse que EU sou um estúpido das finanças você não entendeu? Quer que eu desenhe?

      Não precisava ter copiado o capítulo da sua apostila de matemática financeira aqui no comentário, eu acredito em você.

      Eu estou satisfeito com minha simulação fraca, se você não está satisfeito, por favor faça esta complicada que você está sugerindo e tudo bem.

      Eu só acho que a vida é mais simples que este monte de complicações que nós seres humanos temos mania de colocar nela.

      Eu já disse que não quero entender o que é valuation, pois para mim é inócuo e muito complicado, eu prefiro ficar focado em GANHAR dinheiro com meu trabalho à arriscar meu patrimônio em técnicas idiotas como a sua.

      Einstein tem uma frase que gosto "Somos todos muito ignorantes, mas nem todos ignoramos as mesmas coisas.”

      Deixa eu continuar ignorante nas minhas coisas e você nas suas ...

      Seja feliz!

      Forte abraço.

      Excluir
    8. Eu estou muito tranquilo. Mas metodologia científica existe para isso: partir de hipóteses falsos levará a resultados falsos.

      Vc não pode utilizar simulação para tirar conclusões sobre o assunto em questão. Simples assim.

      Mas se você tem uma CRENÇA de q pode fazer isso aí, neste caso, realmente é complicado.

      Excluir
    9. legal dimarcinho, valeu pela dica, mudou minha vida

      Excluir
    10. Alias marcinho, eu não deveria, mas vou te ajudar e te apresentar um negócio que parece que você não usa muito. Chama-se Microsoft Excel.

      Não são necessárias zilhões de contas pra fazer esta simulação, mas 1 fórmula no excel com 2 variáveis, além de um mero "clicar e arrastar", foram 2 minutos para criar.

      Desta maneira, você só precisa preencher 2 células com valores do índide de eficiência e taxa anual, o resto o Excel faz tudo por você.

      Talvez assim você consiga criar estas fórmulas com embasamento cientifico que tanto fala mas que não conseguiu criar até hoje.

      Abraços

      Excluir
    11. E as duas não param de se bicar! huahuahua!

      Excluir
  20. Calma pessoal! Estou sentido que o clima está ficando pesado... Sobre Valuation, eu não uso ele. Já falei antes que preço justo é o preço que está na pedra. O que importa é que todo mês eu estou comprando valor. Tem pessoas que estão esperando ABEV3 ficar "barata" desde 2002! Isso faz sentido?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cara,
      qual o seu problema?

      Qual o seu conceito de barato? Ou caro?

      Excluir
    2. eu avisei para não cutucar IL

      Mas veja, tenho a impressão que já vi esta forma de escrever antes, tá ali em cima:

      *******************************************************
      ANÔNIMO
      8 de fevereiro de 2014 10:38

      Cara, vc não entende mesmo o princípio do valuation.

      É melhor esquecer de fazer essas simulaçõezinhas babacas, tentando provar o seu ponto.

      Compra uma sainha e vai dançar como bastterete.
      **********************************************

      Excluir
    3. Não estou cutucando ninguém não, longe de mim, rsrs.

      Excluir
    4. neguin copia ate a virgula que o bastter fala, kk

      azev4 > all

      Excluir
    5. Ih, agora é o q tá me faltando. EI, vc vai entrar naquele grupo de teoria da conspiração de q eu posto por aí como anônimo? kkkkk. Não preciso disso, meu caro. Eu falo tudo que penso na lata.

      Investidor Livre, insisto: se você não sabe avaliar se uma empresa está cara ou barata utilizando valuation como técnica, como então pode afirmar alguma coisa sobre o assunto?

      E digo mais: acho q vc deveria ter mais respeito para com os alheios. Damodaran, q vc deu entender de "famoso quem" é um monstro na área de avaliação de empresas e reconhecido MUNDIALMENTE por isso. Obviamente, por não ser do meio financeiro nem eu nem vc poderíamos saber disso, não é verdade? Mas o simples fato de vc considerar q este cara não é importante mostra o seu nível de desconhecimento no assunto.

      Já o seu mestre Bastter, nunca devem ter ouvido falar. E por que será?

      Agora, me diga: quem passa mais confiabilidade?

      Outra coisa: se você não conhece o Damodaran então, obviamente, nunca leu nada acerca de suas opiniões e assuntos. Se você nunca leu, como está opinando?

      Acho que deve haver senso crítico antes de dar opinião. O que tento colocar aqui e vocês me chamam de chato ou arrogante é na verdade o mínimo para podermos ter algum tipo de discussão construtiva.

      O q acho mais engraçado ainda é que como vocês pregam que o "preço que vale é o preço que está na pedra" então não deveriam fazer stock picking, pois isso vai de encontro à HME. kkkkkkkkk. Ou seja, estão sendo incoerentes em seus próprias crenças sobre o mercado e a estratégia q estão adotando.

      Mas tudo bem. Se vocês querem seguir esses mestres desconhecidos do mundo cegamente, sem questionar absolutamente nada, não tem problema. Cada um faz o que quer.

      []s!

      Excluir
    6. dimarcinho, na boa brother, você pode comentar o que quiser, pode achar o que quiser, mas não precisa chegar aqui e dizer que post ou estudo é fraco e mais um monte de bobagens que disse. Se não concorda, nem entre aqui e não fica falando um monte de groselhas.

      Você não entendeu meu raciocínio e fica pregando que o Damodaran é um monstro mundialmente famoso. O cara deve ser bom mesmo e deve ter um monte de gente ganhando dinheiro seguindo ele, mas deve ter um monte de gente quebrando a cara também.

      Eu cansei de falar que valuation é válido, mas eu não acredito que seja muito útil para Buy & Hold (veja o título do post). Agora, se do alto da sua genialidade você não consegue pensar que existe um mínimo de pequena possibilidade de o que eu estou falando faça um mínimo de sentido, por favor não precisa mais vir aqui encher a paciência de quem está querendo estudar.

      Eu estou em outra pegada na vida, diferente da sua, portanto, para quem já tem uma carteira construída, como é o meu caso, não importa tanto aonde eu aporto, mas a rentabilidade da carteira que já existe, se você acha que isso que estou falando não é válido, tudo bem, eu continuo com a minha carteira e você com a sua.

      Espero realmente que tenha sucesso, mas o mais importante que tem a aprender é a ser um pouco mais humilde e respeitar o próximo, principalmente quando você não conhece quem está falando, seus pensamentos e valores.

      Seja Feliz!

      Excluir
    7. Blz.

      Desejo boa sorte e felicidades!

      Excluir
    8. Eu não tenho interesse em Valuation porque para supostamente se beneficiar dele você precisa ter uma grana muito alta para colocar na Bolsa de uma vez só. E isso se chama trade. Ou seja, para o pequeno investidor, que compra um pouco todo mês, o que importa são a regularidade e a qualidade e não o preço.

      Excluir
    9. E você saberia me dizer onde estão os dados que comprovam essa diferença?

      Excluir
    10. marcio vamos inverter a pergunta

      E VOCÊ saberia dizer onde estão os dados que comprovam a diferença em favor da sua tese?

      Excluir
    11. Não sou quem tem q provar a hipótese do TI. Por isso mesmo que perguntei onde estão dados que confirmam a regularidade e qualidade são mais importantes que o preço.

      Os meus dados são baseados em matemática financeira básica. No entanto, estou preparando uma tabela com simulações de verdade (e não isso que o EI fez).

      Os resultados da MINHA hipótese vc verá no meu blog.

      Excluir
    12. legal, estamos ansiosos por estar estimulando o primeiro Nobel de Economia brasileiro, que vai provar sua tese que é possível ter investimentos com muito mais rentabilidade com muito menos risco

      Excluir
    13. Marcio mostre alguma coisa consistente e nao aqueles estudos manipulados que costuma fazer.
      Por enquanto seus exemplos sao os resultados pifios na rentabilidade e tiros pra fora como foi com a natura.
      Mostre como é possivel vencer na pratica e nao na sua teoria

      Excluir
    14. Comentário engraçado o seu, anônimo.

      "Mostre como é possivel vencer na pratica e nao na sua teoria"

      kkkkkkkkkkkkkk

      Excluir
    15. marcio seria engraçado se não fosse trágico você com tanta teoria mas na prática um investidor tão ruim que perde para o ibovespa sempre

      kkkkkkkkkkkkk

      Excluir
    16. Anônimo, mostre-me VOCÊ como é "possível vencer na prática"

      rsrsrsrsrsrs

      Excluir
  21. Caro EI, acabei de ler sua postagem aqui. Então, eu acho que você incorre em um erro de prioridades no caso analisado. Fundamentalistas, ao meu ver, devem dar prioridade aos fundamentos. Se os fundamentos são bons, não há porque não comprar. Mas isso não significa que você não possa esperar 2, 3 semanas, na esperança de comprar 4 ou 5 reais mais barato.

    crude-trader.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. CrudeTrader,
      Concordo com você sobre a situação de que se os fundamentos são bons não há porque não comprar. A questão de esperar 2, 3 semanas na esperança de comprar mais barata é que eu questiono a eficiência, mas nada impede alguém de fazer isso, porém ninguém garante que em 2 ou 3 semanas vai estar mais barato ou mais caro.
      Mas cada um na sua, são métodos diferentes e respeito.
      Abraços

      Excluir
  22. EI,

    Primeiramente parabéns pelo blog. Estou com uma sensação muito estranha. Fico feliz por estar descobrindo HOJE essa blogosfera mas ao mesmo tempo me sinto desnorteado.Juntei um milhão de links(blogs) e não sei por onde começar. Sinto aquele arrependimento de não ter me proposto a adentrar neste tema antes, aquela sensação de tempo perdido. Mas enfim, antes tarde do que nunca. Foi por sua cordialidade explícita aqui que resolvi escolher este blog para esta postagem. Bom minha pergunta é a de todo novato: por onde começar?

    Mas creio que devo falar um pouco de mim para uma resposta mais adequada. Operei mais de 7 anos fazendo trade (AT) e inspirado no Bastter estou montando minha carteira para B&H. Vi alguns vídeos lá, da importância dos lucros consistentes, margem, roe etc. Admiro o quadro de ações do site mas percebo que o espaço lá é nada democrático. Já fui hostilizado diversas vezes quando se questiona algo fora da "metodologia Bastter". Creio veementemente que ele está corretíssimo em suas abordagens, tanto que minha carteira foi inteiramente formada seguindo a riscas seus ensinamentos. Mas após 2 meses devorando aquele site sinto que não há muito para onde crescer. As discussões se repetem, e aquele discurso pronto me da náuseas.

    Diante do exposto, reforço a pergunta: Por onde eu começo para entender a filosofia dessa blogosfera de investimentos. Tem algum post no seu blog ou em algum outro que seja essencial para entender tudo isso que está diante dos meus olhos? Estou questionando a origem de todo esse movimento, mas aceito indicações bibliográficas do tema.

    Agradeço desde já a atenção.
    Saudações.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. João Victor,

      Primeiramente quero dizer que fico muito honrado pela sua visita e principalmente por ter considerado este humilde blog uma boa referência para iniciar seus estudos na blogosfera de finanças.

      Eu sei exatamente o que você está passando, pois quando comecei a estudar o assunto e a participar desta blogosfera de finanças (antes mesmo de ter meu blog) eu também tinha muita dificuldade em entender quem eram as pessoas (na maioria das vezes anônimos com nomes fictícios, por questões de segurança) e também não sabia por onde começar.

      Com respeito ao bastter.com, eu também acho que as discussões lá são meio inúteis na maioria das vezes, mas o site tem informações muito úteis, principalmente os quadros sobre as empresas. Eu procuro acompanhar resultados e discussões nos murais somente das empresas que estão na minha carteira. Para efeito de aprendizado, tenho assistido a alguns chats do Mille ou de outras pessoas que falem sobre análise de empresas, pois quero aprender mais sobre este tema de modo a melhorar a qualidade da carteira como um todo.

      Já com respeito à blogosfera, não é tão fácil indicar um caminho das pedras com exatidão pois a blogosfera é grande e dinâmica, com novos entrantes e blogs que são abandonados todos os meses, além de pessoas que ficam mais ou menos ativas ao longo do tempo, mas vou explicar um pouco quais são minhas referencias atuais para tentar te ajudar. Tenho certeza que serei injusto com alguns blogueiros que vou esquecer de citar neste texto, mas posso complementar a informação posteriormente, portanto peço desculpas antecipadamente aos blogueiros que não foram citados ou cujos quais as informações estiverem imprecisas.

      Minha recomendação é você pegar uma lista de blogs para acompanhar e começar a interagir através de comentários e discussões, assim você acaba aprendendo junto com os demais membros da blogosfera.

      Uma lista de blogs de referência abaixo (ordem abaixo é aleatória, não necessariamente por importância):

      Além da Poupanca http://alemdapoupanca.blogspot.com.br/
      O AdP é uma das mais importantes referências de todos os blogueiros, primeiro por ser um dos mais antigos da blogosfera, mas também por seus estudos e posts bastante completos e interessantes. A maior referência do AdP é a planilha com o sistema de cotas para cálculo da rentabilidade que ele criou e que acabou se tornando o padrão de cálculo de rentabilidade da blogosfera.

      Invest and Survive http://investandsurvive.blogspot.com.br/
      O blogueiro Victor Fox Sierra criou desde o ano passado um excelente ranking de rentabilidade que é atualizado mensalmente, assim que os blogueiros publicam seus resultados (entre o fechamento do mercado e os primeiros dias do mês, praticamente todos os blogs publicam resultados mensais). Este ranking é muito bem humorado com várias trollagens e fritadas com os resultados. O Victor ainda é adepto do sobrevivencialismo (motivo do "survive" no nome do blog) e publica posts sobre sobrevivencialismo e também sobre armas de fogo e facas.

      Investidor Troll http://investidortroll.blogspot.com.br/
      O Troll não publica muito além do post mensal de resultados, mas é uma boa referência pela carteira, metodologia e rentabilidade. O Troll já foi mais trollador no passado e hoje é um dos mais ativos da blogosfera nos comentários em outros blogs. Ele dá uma zuada com a turma mas no fundo tem uma postura bastante interessante. Ele se entitula "El Rei" da blogosfera, mas não chega a tanto, rsrsrs

      Blog do Uó http://blogdouo.blogspot.com.br/
      O blogueiro Uorrem Bife é um dos mais ativos da blogosfera tanto em posts como em comentários no seu próprio blog e nos outros. Uó mora em MG e é torcedor do Galo. Este jeito mineirinho dele não engana ninguém. Ele tem um aporte forte e uma boa carteira. A estratégia está sendo construída ao longo do tempo, pois no passado ele fazia trades, depois passou a usar fundamentos mas com visão de curto prazo e agora ele está focado em uma estratégia de longo prazo.

      (continua abaixo devido ao estouro do limite de tamanho de comentário)

      Excluir
    2. (continuação)

      Estagiario Investidor http://estagiarioinvestidor.blogspot.com.br/
      O Estagiário tem um blog a bastante tempo, mas eu comecei a interagir com ele mais recentemente. Não sei até que ponto o nome Estagiário reflete a carteira e a capacidade de aporte/patrimônio, mas o Estagiário é adepto do Buy and Hold e tem feito vários posts interessantes com estudos e comentários valiosos.

      Guardião do Mobral http://guardiaodomobral.blogspot.com.br/
      O GdM é um blog que foi criado em homenagem a um blogueiro/investidor que tinha posts e resultados muito interessantes (Blog do Zé Mobral). Desde o final do ano passado, o Zé mobral fechou o blog porque aparentemente sua identidade foi descoberta. Bom, o GdM também tem posts interessantes, principalmente sobre sua carteira e estratégia de longo prazo. Ele tem provocado algumas discussões válidas principalmente sobre valuation (neste post existe uma discussão grande sobre isso).

      Investidor Livre http://investidorlivre.blogspot.com.br/
      o IL é um blog bem recente, mas que tem sido bem ativo na blogosfera recentemente. Ele é adepto da filosofia Bastter.

      Pensamentos Financeiros http://pensamentosfinanceiros.blogspot.com.br/
      O blogueiro soulsurfer tem muito conhecimento sobre investimentos e economia. Ele vivia postando comentários muito completos em vários blogs e finalmente resolveu criar seu blog recentemente. Apesar de novato na blogosfera a expectativa é que o blog seja muito bom em conteúdo.

      Outros blogs interessantes:
      - Análise Fundamentalista http://sethbull.blogspot.com/
      - Investidor Defensivo http://investidordefensivo.blogspot.com/
      - Longe do Limite http://longedolimite.blogspot.com/
      - Doutor Honorários http://doutorhonorarios.blogspot.com/

      Como eu falei, posso estar sendo injusto por não mencionar outros blogs, mas acho que é um bom ponto de partida. Uma lista completa pode ser obtida na barra lateral direita do meu blog em "BLOGS FAVORITOS".

      Abraços,

      Blog Economicamente Incorreto
      http://economicamenteincorreto.blogspot.com.br

      ps.: Não falei acima sobre o meu blog, mas minha história com bolsa é relativamente nova (desde agosto de 2002 diretamente em ações). Desde então venho tentado aprimorar minha forma de investir, através de leitura de vários livros sobre Buffett, Benjamin Graham, análise fundamentalista e métodos de investimentos em ações. No início eu testei métodos de curto prazo onde não fui muito bem, então parti para metodologia Buy & Hold que tem dado bons resultados. Tenho um patrimônio relativamente bom em imóveis e RF, mas meu foco em rentabilidade e acompanhamento através do blog é com investimento em ações.

      Excluir
    3. Ops, minha historia de investimentos em ações começou em 2012 e não em 2002 como escrevi acima

      Excluir
  23. Caro amigo EI, será que você poderia colocar meu blog em seu blogroll? Agradeceria muito. Tomei a liberdade de adicionar o seu. Abração, cara.

    crude-trader.blogspot.com

    ResponderExcluir
  24. Boa Analise EI!
    Bem simples, com resultados "obvios" no início.
    Mas a medida que a análise aprofunda, se torna "não tão óbvia".
    A vida já é complicada de mais. Realmente temos que procurar pelo que seja simples e efetivo!

    Seu post inclusive me motivou a escrever outro.
    Valeu mesmo.
    Se me permite, até linkei este seu post em um outro meu...

    Continue na humildade, rumo a IF!
    Você nos representa! hehehe

    abs
    MF

    ResponderExcluir
  25. e sobre o Lirio Parisotto, sigo o metodo dele e estou indo muito bem a 6 anos. O que vcs acham. Parabens pelo BLOG

    ResponderExcluir
  26. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  27. Bom,

    Tentarei ser breve e citarei meu próprio exemplo, portanto ninguém poderá me sacanear ou pedir de onde tirei, quem me disse, etc...
    Não pretendo responder ou trucar ninguém sobre meu comentário.

    Já li de TUDO sobre investimentos, desde Damodaran até livros mais populares, aplicando dinheiro REAL, MUITO e MEU. Não vi escrito, não ouvi dizer, não acho... eu fiz. Aprendi muito tbm no blog do HC, nos posts do cara chamado Small Caps no ADVFN e em outros blogs. Já assinei a exame, já segui o Bastter, já li posts de gringos com dicas mensais de investimentos. Resumo da ópera: me fudi muito e vi DESAPARECEREM mais de 300 mil reais que nunca mais recuperarei. Erros que cometi:

    1- Investir só em PETR4 e VALE5 no começo.
    2- Não ter nada em renda fixa, exceto na P. Privada, que bem ou mal só fiz acumular lá - melhor que perder.
    3- Ir na onda do Buy and Hold. BH de cú é rola, frase chula mas real! Bastter ganha e muito com livros, palestras, patrocínios e etc. Parabéns para ele, mas é igual mantra de igreja de crente: invista e espere o futuro, nada de mágica rápida... a galera vai seguindo, aplicando e o futuro NINGUÉM SABE! Mas doutrinar vendendo lotes no céu é menos arriscado que prometer lotes na Terra.
    4- Comprar empresas contando com resultado passado. No Brasil, exceto bancos, todas são imprevisíveis com os governantes filhos da puta que temos. Mesmo os bancos correm riscos, mas menos que as demais empresas pois seu negócio é tirar dinheiro dos outros na maciota. Me ferrei na ELPL4 e só Deus sabe se um dia sobe e se subir, perdi muita grana neste período.
    5- Tentei trades curtos = me fudi de novo. Me dei bem apenas em swing trades de períodos mais longos (ex. BBAS3 comprada ababixo dos 23 e vendida nos 32).
    6- Não ter pelo menos uns 50% ou mais em renda fixa. O Graham citava até 75% e seus critérios para comprar uma empresa não foram os que apliquei - e só levei fumo. Hoje, para eu comprar uma ação só se seu Yield estiver acima de 12% e se for um banco. Senão, estou fora. Confio muito mais no poder dos meus aportes que no rendimento da carteira, portanto hoje fujo do risco desnecessário.
    7- Nada bateu o rendimento dos imóveis onde moro nestes últimos 10 anos, média de mais de 25% ao ano em determinadas áreas. Perdi o bonde, estava no mercado de ações e investindo errado.
    8- Alguém pode citar um exemplo da ação "X" que subiu 100% ou 500% em 3 anos. OK! Mas só mágicos sabem até onde sobem ou descem os preços de uma ação e não vou arriscar 1 ou 2 milhões de reais em algo que não tenho controle. Isso se chama sorte.
    9- FII - parte lucrei, parte levei ferro, mas acho um bom investimento desde que você acerte o timing de compra como agora. Se os juros continuarem a subir, ainda não é hora de comprar.
    10- Preço de compra é o que está na pedra e importa SIM. Papo furado de "compre boas empresas a qualquer preço", que BH é a maior maravilha do mundo, e pirirí e pororó... Eu quando compro um carrro quero desconto e muita mordomia, só idiotas não olham o preço do que compram. Exemplo: não compro BBAS3 no atual preço nem que a vaca tussa. P/L e dividendos importam sim, os que compram a qualquer preço terão como retorno qualquer resultado! Sei a história do preço médio... mais velha que vento Sul, mas prefiro arriscar um tiro de 100 mil reais comprando BBAS3 nos 22 reais que nos 36 e rezar para que não caia.
    11- Em resumo, hoje aposto mais nos meus aportes, renda fixa, buscar
    melhores momentos para comprar FII ou ações - que poderá levar 5 ou 10 anos - mas não arrisco mais dinheiro novo nisso, apenas estou reaplicando os proventos dos FII em mais FII. Estou muito mais seletivo e cuidadoso com novas compras e com o rumo do Brasil, prestem mais atenção nos políticos que estão no poder hoje (ex-guerrilheiros, picaretas e comunistas, que apoiam ditaduras bolivarianas... o estrume econômico da humanidade). Podem matar o mercado numa tacada só, basta que nossa sociedade que já é leniente
    continue calada e eles implantem o que bem quiserem aqui. Não é difícil.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Heavy Metal,

      Primeiramente quero agradecer sua visita aqui, pois acho que é seu primeiro comentário por estas bandas. Além disso quero pedir desculpas pelo longo período para responder, pois fiquei completamente desconectado do blog por algumas semanas.

      Seu comentário é muito interessante e instrutivo, principalmente porque mostra as perspectivas de alguém que vivenciou os temas na prática. Eu concordo com a maioria dos pontos e concordo que quem segui-los tende a ter uma estratégia vencedora.

      Eu também levei uns tombos quando tentei fazer uns trades, inclusive com OGX, além disso já fui mais fiel à filosofia Bastter que sou hoje.

      Apesar de eu apresentar no blog apenas minha carteira de ações, pois o propósito da criação do blog foi o aprendizado em ações, meu patrimônio é muito mais diversificado, com cerca de 50% em imóveis e da porção em capital, cerca de 50% em RF e 50% em RV (ações), como já descrevi neste post http://economicamenteincorreto.blogspot.com.br/2014/01/raio-x-2013-que-venha-2014.html

      Não tenho nada em FII justamente por ter uma parte grande em imóveis.

      A minha desilusão com o pais é semelhante, mas é inegável que ele oferece algumas oportunidades de alta renda para pessoas qualificadas justamente pela baixa qualificação da população (no fundo é possível se beneficiar da desigualdade instaurada, mesmo que meu desejo fosse que ela fosse menor e tivéssemos um pais melhor, com menos violência, etc)

      Abraços

      Excluir
  28. Já que li desde a primeira linha do post até o último comentário, nada mais justo que deixar minha marca, mesmo com dois anos de atraso, rs.

    Santo Deus, perdi a época de ouro da blogosfera! Excelentes discussões e eu sequer cogitava a existência de um ambiente assim. Uma verdadeira pena que, aparentemente, o pique do pessoal tenha diminuído de forma tão drástica.

    Parabéns pelo blog, EI. Continuarei, vagarosamente, absorvendo este conteúdo riquíssimo que está aqui disponível.

    Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Milionário,
      Obrigado pela mensagem. Devo confessar que de vez em quanto até eu me surpreendo ao ler coisas que escrevi no passado. Muitas, como essa, eu nem lembrava, mas fico feliz de ter feito e escrito estudos como esse.
      Realmente a blogosfera já teve conteúdos mais profundos e agora está um pouco rasa demais. Eu me inclui na lista dos que contribuiram para chegar onde está. A falta de tempo e o tempo de experiência nos deixa mais céticos e com menos disposição para estudos e simulações como esta, infelizmente.

      Abraços

      Excluir

 

Seguir por e-mail

Posts Populares

Blogs Favoritos

Estatísticas