Fechamento - Outubro 2019

sexta-feira, 1 de novembro de 2019

Olá amigos, passando para registrar o resultado da carteira, já que pulei, por falta de tempo, o fechamento de Setembro.

A carteira segue performando bem de forma geral, uma vez que os ativos estão bem diversificados (RV, RF pré e pós, cambio/bolsas do exterior, etc), a carteira vai andando sem grande volatilidade, afinal, quanto um não vai bem (exemplo dólar) é compensado por Renda Fixa pré-fixada que continua rendendo bem com as renovadas perspectivas de queda nos juros.

Fechamento - Agosto 2019

quarta-feira, 4 de setembro de 2019

Vamos para mais uma postagem de fechamento mensal. Desta vez vou fazer uma postagem diferente da postagem do mês passado, pois pouca coisa mudou e quero entrar com novas informações sobre outras categorias de ativos como RF e investimentos no exterior.

Paulo Guedes, que papo é esse de CPMF?

quinta-feira, 22 de agosto de 2019

Me espanta a criatividade de nossos políticos, economistas e governantes. Por que temos sempre que criar as nossas jabuticabas?


Como vem sendo noticiado, ontem o ministro Paulo Guedes disse que o governo estuda criar um imposto nos moldes da CPMF, que tributa transações financeiras em geral. No Brasil tivemos a CPMF entre 1997 e 2007, criada no governo FHC e eliminada no congresso, pela oposição, durante o governo Lula.

Aquecimento global, ideologia pautada e Mínions

terça-feira, 20 de agosto de 2019

Através deste post quero tratar de um tema que vem me chamando bastante a atenção: A estratégia bolsonarista de pautar temas polêmicos nas discussões pelo país de forma a colocar as pessoas com opiniões opostas em clima de guerra ideológica.

Antes de mais nada, quero deixar claro que, apesar de não ter votado em Bolsonaro (anulei meu voto no segundo turno), sou simpatizante das ideias liberais relacionadas a economia, não do presidente, mas do corpo governista. Sou absolutamente contra o PT e a esquerda socialista corrupta que esteve no poder por 14 anos plantando um projeto para se perpetuar no poder. Esperava que o governo, não o presidente, colocasse o país no rumo, mas infelizmente o presidente está mudando as prioridades e implantando um projeto para ele ser o protagonista, de forma egocêntrica e com postura ditatorial do ponto de vista de gestão (ninguém pode dizer nada contrário aos seus pensamentos que é imediatamente limado do governo). Feita esta ressalva, vamos ao post.




A título de exemplo quero comentar uma situação relacionada aos posts de Aquecimento Global postados pelo blogueiro Heavy Metal. Foram duas postagens em seu blog um tanto polêmicas tratando o aquecimento global como fraude, são elas:

Investimentos Internacionais e os sinais vindos da Argentina

segunda-feira, 12 de agosto de 2019

Desde o início do ano tenho aumentado meus aportes em investimentos no exterior, como já comentei em algumas postagens anteriores. Os motivos principais são, dentre outros, ter uma parte do meu capital alocado em moeda forte, dada a fragilidade de nossa economia, e manter uma parte o capital no exterior de modo a se proteger de uma eventual venezuelização deste país, com a possível volta da esquerda populista latino-americana ao poder.

A Cielo vai fechar o capital?

quarta-feira, 7 de agosto de 2019

Esta é a pergunta de 1 milhão de dólares (ou muitos bilhões), e obviamente eu não sei a resposta!

Primeiramente quero esclarecer que os comentários aqui são apenas opiniões do blogueiro e não devem ser entendidas como recomendação de investimento, nem mesmo como objeto de análise da empresa sob o ponto de vista fundamentalista. Não possuo outras informações além das publicadas em canais oficiais ou na mídia especializada.

Seguindo com o tema da postagem (possível fechamento de capital da Cielo), estou escrevendo porque possuo uma parte significativa da minha carteira de ações nesta empresa (5%), conforme relatado aqui, e também porque o mercado vem começando a especular sobre esta possibilidade.

Fechamento - Julho 2019

quarta-feira, 31 de julho de 2019

Olá amigos, não tenho publicado postagens de fechamento nos últimos meses, sobretudo por falta de tempo e uma certa monotonia da carteira. Monotonia esta desejada para um investidor de longo prazo (Buy & Hold) como eu.

Neste mês estou na frente do computador com os dados de fechamento, então resolvi publicar.

Estes são os resultados da carteira em Julho de 2019:

Alocação: 100% em ações* 
Rentabilidade em Julho/19: +4,40% (Ibovespa +0,84%
)
Acumulado no Ano de 2019: +10,52% (Ibovespa +15,84%)

TIR Jan/12 - Jul/19: +0,679% ao mês ou +8,46% ao ano

*Tenho também alocação em renda fixa e no exterior, mas a carteira com a rentabilidade gerenciada e compartilhada aqui no blog é apenas a carteira de ações, uma vez que o propósito principal do blog é o estudo de investimento no mercado de ações.

Abaixo a situação atual da minha carteira:


A performance de uma maneira geral da carteira no mês foi muito boa, batendo o Ibovespa com certa folga, apesar de ainda estar perdendo no acumulado do ano 2019.

No acumulado total, desde Janeiro de 2012, o retorno líquido de 8,46% ao ano  pode ser considerado razoável, pois está ligeiramente acima do CDI líquido para o período (pelos meus cálculos o CDI bruto foi de 9,81% e o líquido 8,33%).

A grande vilã da carteira vem sendo a Cielo, logo ela que há cerca de 4 anos (em julho de 2015) eu fiz esta postagem A Magia dos 100% em que destacava exatamente o fato de a Cielo ter sido a primeira ação minha que atingiu 100% de rentabilidade (acho que a postagem zicou a empresa, rs). Interessante notar como o cenário muda, pois na postagem de 2015 eu ainda destacava que as vilãs da carteira eram Vale, Gerdau, Natura e Hering. Destas, somente a Gerdau não subiu muito, as demais dispararam nestes 4 anos.

Outras como Itaú e Porto Seguro, já eram destaque e continuaram subindo no período. Já a Ultrapar, outro destaque de 2015 vem sofrendo desde então.

No fundo, a grande lição é: não temos como prever o futuro e a melhor arma que temos para nos protegermos é a diversificação. A máxima "não coloque todos os ovos na mesma cesta" mais uma vez está mostrando seus efeitos.

Importante:
Este material tem propósito meramente informativo. Não consiste em recomendação financeira ou estratégica para investimentos. Para saber mais sobre as opções de investimento e receber recomendações, procure uma instituição financeira com profissionais habilitados.



TSR que vai e TSR que vem

quarta-feira, 10 de julho de 2019

Na semana passada eu publiquei uma postagem tratando de aspectos do meu momento atual de vida, falando de IF, FIRE, TSR e tudo mais.

Tivemos muitos comentários interessantes sobre vários aspectos, então resolvi voltar a escrever sobre alguns temas, sobretudo a TSR.

Em resumo, a TSR (Taxa Segura de Retirada) é o montante que pode ser retirado de forma segura periodicamente (normalmente medido em taxa anual), de uma determinado patrimônio investido a título de renda passiva, de maneira que o dinheiro nunca acabe (ou dure no longo prazo, por exemplo por 30 anos).

IF, FIRE, TSR e Propósito

quarta-feira, 3 de julho de 2019

Hoje vou falar mais um pouco sobre a minha vida pessoal e profissional. No momento, passados os 41 anos de idade, estou em momento de grande reflexão sobre o propósito de vida. Sou casado há mais de 18 anos, feliz com o casamento, tenho 2 filhas, estou bem de saúde, uma carreira de sucesso (mais sobre isso abaixo), um excelente patrimônio e uma situação financeira praticamente resolvida (IF* conquistada com TSR* de 4% a.a que garante um bom padrão de vida).

Apesar disso tudo, nem tudo são flores, pois o ser humano nunca está satisfeito plenamente. A vida é como um jogo de video-game, quando você chega no final de um nível e já matou todos os monstros e chefões, precisa passar para um novo nível, com desafios diferentes.

O Primo Rico e a venda de 20k por mês

terça-feira, 18 de junho de 2019

É impressionante como tem gente ganhando dinheiro na net como youtuber dando dicas sobre investimentos em ações. Eu, particularmente, não tenho nada contra, mas o problema é que como o assunto está virando comercial, os caras começam a focar em audiência e não em conteúdo, e com isso falam umas besteiras.

Uma que me chamou a atenção é a idéia do canal O Primo Rico, que o personagem comenta que faz vendas mensais de 20K para diminuir a incidência de IR. Na boa, o cara tem uma ilusão de que esta é uma operação vencedora e ainda vende esta idéia pra galera.

O vídeo que me refiro é este abaixo:

https://www.youtube.com/watch?v=hzVifv3gM3Q

Para quem não vai assistir o vídeo, a idéia é o famoso artifício de se aproveitar da isenção de IR para liquidações de até R$ 20.000 por mês e assim recomprar as ações um tempo depois, embolsando o lucro sem pagar IR e aumentando o preço médio.

A princípio pode parecer uma operação boa, mas quando analisamos os riscos envolvidos, penso que não vale muito a pena. Abaixo a lista de motivos que tornam esta operação ruim, no meu ponto de vista:

1) Custos: O cara pode alegar que a sua corretora tem custo zero, mas para a maioria, existe um custo mínimo de corretagem para executar as ordens de venda e compra.

2) Spread: Quando você vende uma ação e recompra, inevitavelmente tem uma diferença de spread que é a diferença entre o valor de compra e venda. Por menor que seja, existe uma diferença. Além disso se negociar no fracionário, o spread é maior ainda.

3) Volatilidade: Para não ser um day-trade, precisa esperar até o dia seguinte, mas aí pode abrir no dia seguinte com diferença com relação ao dia anterior, e você perder esta variação. Pior ainda é se a ação dá aquela disparada (abre com gap) e você perdeu a grande chance de valorização. O princípio de Buy & Hold pressupõe que você esteja comprado sujeito a exposição ao risco, quando você vende, perde um tempo de exposição ao risco.

4) Tempo: Você precisa dedicar tempo para executar as operações, quanto custa seu tempo para avaliar e operar no mercado? Ah, mas leva 5 minutos! mesmo assim tenho minhas dúvidas se compensa.

5) Isso vai realmente fazer a diferença na sua vida? para um cara que como ele, diz que vai juntar muitos milhões em ações, estas operações vão fazer muita diferença? E para quem tem pouco dinheiro? Este tb acho que não vai ter problema em vender 20K por mês quando quiser sair da renda variável.

E aí, qual sua opinião?

Brazil: Buy or Sell?

quarta-feira, 5 de junho de 2019

Passados cinco meses do novo governo, infelizmente as cicatrizes da polarização política ainda estão abertas e não conquistamos a estabilidade que almejamos. Durante o período eleitoral, eu sempre tive um pé atrás com o Bolsonaro, mas confesso que eu tinha uma grande expectativa de que as coisas iriam caminhar para um período de melhor estabilidade, tanto do ponto de vista econômico, como do ponto de vista político, fato que não aconteceu ainda.

Infelizmente o presidente ainda mantém um discurso de palanque eleitoral e com uma postura populista, cercado por filhos e pessoas, como o tal Olavo de Carvalho, que adoram apagar o fogo com gasolina. Sob o pretexto de acabar com os comunistas, esquerdistas e o chamado viés ideológico a esquerda, vale tudo para negar o que foi feito e conquistado no passado. Infelizmente os políticos deste país (e do mundo?) adotam há anos o discurso da herança maldita e da evolução através da disrupção (destroi e constroi novamente), ao invés de uma postura de evolução incremental.

No momento que escrevo, noto que há umas 3 semanas temos uma certa estabilidade nas polêmicas gratuitas e o país começa a ter uma agenda mais positiva, sobretudo no congresso. Tenho a impressão até que depois da última polêmica, envolvendo Bolsonaro, filhos, militares e Olavo, há umas 4 semanas, todos resolveram dar uma trégua, possivelmente por um basta vindo dos militares que poderiam abandonar este governo.

Bem, não sou cientista político, portanto meu objetivo não é formar opinião de ninguém sobre o tema, mas o fato é que ainda sinto muuuuuita instabilidade no ar e, por mais que as coisas possam parecer estar melhorando do ponto de vista econômico, pensando no longo prazo, nada impede que este país volte a estaca zero, volte a eleger populistas de esquerda no futuro e o processo de venezualização impere de vez (vide o que está acontecendo na Argentina e a ameaça de volta da D. Cristina).

Diante disso, estou acelerando meu processo de alocação de parte do meu patrimônio no exterior e em moeda forte. Nada garante que a economia dos Estados Unidos continue a ser a melhor e que não aconteçam crises por lá (é certo que crises acontecerão), mas o fato é que no campo das probabilidades, é muito mais fácil o Brasil levar um tombo que os Estados Unidos ou outros países desenvolvidos estáveis.

No início do ano, meu plano era ter cerca de 5% do capital em moeda estrangeira, como proteção cambial, mas no início do ano resolvi aprofundar meus estudos sobre investimentos no exterior e, diante dos riscos que vejo no país, aumentei minha meta para 10% do meu capital  disponível no exterior até 2021. Outro fator de influência para esta decisão é que pretendo passar uma temporada de 2 anos vivendo na Europa e para isso preciso ter um bom "pé-de-meia" em moeda forte para minimizar o risco cambial.

No final do ano passado eu tinha cerca de 3,3% do meu patrimônio alocado em operações cambiais (dinheiro em conta no exterior, moeda em espécie e IVVB11). Nestes 5 meses, este percentual praticamente dobrou para 6%, com aportes totalmente no exterior, através de remessas legais. Como estou bem próximo de alcançar a independência financeira, tenho como meta dobrar novamente o montante no exterior nos próximos 2 anos que, associado com o crescimento do patrimônio no Brasil, deverá chegar na proporção 90% Brasil e 10% exterior.

Atualmente minha carteira no exterior está com a seguinte composição em ETFs, sendo 25% em renda fixa e 75% em 5 ETFs variados com boa diversificação global, mas com peso maior nos países desenvolvidos:


Voltando a pergunta no título do post (Brazil: Buy or Sell?), ainda sigo em dúvidas sobre a alocação 90/10 citada acima. Ontem mesmo liquidei uns 15% dos meus títulos do Tesouro Direto IPCA+ 2035, que tiveram uma rentabilidade de quase 6% em maio (e quase 50% em 12 meses), devido a queda nos juros longos e estou em dúvida sobre o que fazer. 

O motivo da liquidação é que o risco/retorno para este título tão longo, com taxa tão baixa não me parece muito atrativo, sobretudo com os fatores apresentados no início da postagem. Minha voltade é mandar tudo pra fora, o que aceleraria muito o processo de internacionalização do patrimônio, mas estou bem em dúvida mesmo.

Esta liquidação do TD IPCA+ 2035 representa cerca de 3% do capital total uns 15% do que tinha em TD IPCA+ 2035.

E aí, o que acham? Brazil: Buy or Sell?


Importante:
Este material tem propósito meramente informativo. Não consiste em recomendação financeira ou estratégica para investimentos. Para saber mais sobre as opções de investimento e receber recomendações, procure uma instituição financeira com profissionais habilitados.


Fechamento - Março 2019

quarta-feira, 10 de abril de 2019

Olá galera, como o tempo passa rápido! Já estamos nos aproximando da metade do ano e eu mal consegui parar para me organizar. Para se ter uma ideia, nem comecei ainda a juntar a documentação da declaração do Imposto de Renda, que o prazo termina no final do mês. Mais uma vez vai ser no sufoco da última hora, nada diferente dos últimos 15 anos.

Sumido sim, mas sigo na luta! -- E o longo prazo parece que está finalmente chegando ...

quarta-feira, 30 de janeiro de 2019

Olá amigos, lá se vão quase 5 meses desde a minha última postagem em Setembro de 2018. De lá para cá muita coisa aconteceu e estou passando aqui para uma atualização "rápida" dos acontecimentos.

Sobre o país não tenho muito o que falar, afinal estamos com um presidente novo, com viés ideológico à direita, depois de muitos anos de uma política com viés ideológico à esquerda. Eu espero que o nosso presidente seja bem sucedido em sua jornada de transformar o país na economia liberal e pujante que desejamos, mas tenho minhas dúvidas sobre a sua capacidade. Na atual situação, se não atrapalhar o ciclo econômico, já estará ajudando muito.

Honestamente eu não acho que ele seja o nome certo para o país, mas diante das opções que foram colocadas à mesa, sobretudo no segundo turno, se tornou a melhor opção.

O hiato de publicações no blog reforça a baixa prioridade que este (triste dizer isso) passou a ter para mim. Não falo isso pelos leitores, que sempre foram muito cordiais e me trazem prazer em me relacionar, mas o problema é a disponibilidade de tempo para dedicar ao blog, em si. Apesar de não escrever, tenho acompanhado algumas publicações, sobretudo dos blogs da "velha guarda" que ainda publicam algo com alguma periodicidade (estes blogs listados na coluna à direita sob o título "Blogs Favoritos")

Carteira de Ações

Sobre a carteira de ações, dizer o que? está indo de vento em popa, com o Ibovespa batendo nos 97mil pontos e a carteira mostrando uma resiliência fenomenal. Como exemplo posso citar que, apesar de eu ter uma posição significativa na VALE (aprox. 6% da carteira), a carteira não teve nenhum impacto com a queda forte de mais de 20% da VALE na segunda-feira após o desastre de Brumadinho, uma vez que esta queda foi compensada pela subida forte de papéis tradicionais como Ambev e Cielo, também na carteira.

Falando na carteira, estou aproveitando o momento e fazendo umas modificações, saindo de algumas empresas como CEMIG, AES Tietê e CCR e entrando em M Dias Branco, Raia Drogasil e Engie. Mas este processo está sendo gradual e deve levar alguns meses até que eu me desfaça de todos os papéis e os recomponha totalmente com as novas empresas. (atenção, isso não é recomendação de investimento para ninguém!)

Emprego novo

Eu havia comentado na postagem de setembro que eu estava desempregado, pois bem, na semana seguinte a aquela postagem, eu consegui um novo emprego. É verdade que tive que diminuir minha renda em um percentual significativo (compensado por um potencial de compensação variável maior), dependendo do atigimento de metas, mas posso dizer que consegui uma boa recolocação, sobretudo com curto espaço de tempo (4 meses).

Não é o emprego dos sonhos, mas não tenho muito do que reclamar, sobretudo porque estou sendo muito mais respeitado pelos superiores e pares, além de, na minha visão, este novo trabalho oferecer uma grande oportunidade de carreira (e renda) no médio prazo.

No período desempregado eu fiz duas viagens internacionais à passeio, sendo uma sozinho e outra com a família, que me serviram para reflexão, sobretudo para amadurecer a ideia de viver um tempo pre-determinado (2 anos?) no exterior no futuro. Quem sabe?

Investimentos Internacionais

Sobre os investimentos, tudo sob controle, e até mesmo monótono, com cerca de 20% em RV (ações) e o restante (quase tudo) em RF, além de um pouco em reserva cambial. Para quebrar a monotonia, resolvi que vou iniciar investimentos no exterior. Eu já possuia uma conta corrente nos EUA e agora abri uma conta na Interactive Brokers. Já fiz uma transferência para a corretora mas ainda não apliquei em nada (ains estou estudando a melhor estratégia, mas devo seguir algumas dicas do Viver de Renda e do Pensamentos Financeiros sobre investimentos no exterior, além do Investidor Internacional que tem um roteiro completo sobre o processo de investimento internacional.

Pretendo investir no exterior como uma forma de proteger parte do meu capital em moeda forte, além de que, se o dinheiro estiver fora, serve também como uma proteção a uma "venezuelização" que nunca pode ser descartada neste pais de tantas idas e vindas. Meu objetivo é chegar a 10% do meu capital no exterior em moeda forte, tudo legal e declarado.

Rentabilidade da carteira em 2018

Para finalizar, a minha carteira de ações terminou 2018 com uma rentabilidade de 3,76% contra o Ibovespa que rendeu 15,03% no ano. De certa maneira a carteira decepcionou, apesar de ter tido uma recuperação espetacular nos meses de Outubro-Novembro-Dezembro. Não fosse isso teria terminado no negativo.

Já em Janeiro, bem, dizer o que? só posso dizer que hoje, dia 30/01 minha carteira está batendo o Ibovespa e sua espetacular rentabilidade de cerca de 10%. Em números nominais, a rentabilidade em janeiro é de cerca de 5 vezes o meu salário líquido o que tem me deixado um pouco apreensivo, mas ao mesmo tempo satisfeito em ver que parece que "o longo prazo está chegando" para alguém que começou a investir em ações em 2012. Amanhã farei o fechamento na planilha e, quem sabe, eu consiga atualizar aqui no blog.

Forte abraço a todos!

Importante:
Este material tem propósito meramente informativo. Não consiste em recomendação financeira ou estratégica para investimentos. Para saber mais sobre as opções de investimento e receber recomendações, procure uma instituição financeira com profissionais habilitados.
 

Seguir por e-mail

Posts Populares

Blogs Favoritos

Estatísticas