E aí, a bolsa já iniciou o movimento de retomada?

segunda-feira, 22 de julho de 2013

(atualizado em 22/07/13 00:38)

Enquanto holders dizem que o índice Ibovespa não serve pra nada e traders ficam olhando o mercado (e os gráficos) para mudar a composição da carteira, a bolsa segue para cima ou para baixo (mais assim ultimamente), como sempre.

O fato é que nos últimos 6 meses a bolsa, em geral, teve comportamento horrível, pra não dizer que está derretendo. Até mesmo ações defensivas como Ambev, BR Malls e CCR estão tendo rendimentos ruins no ano. A questão agora é a seguinte: Será que a bolsa já iniciou o movimento de retomada para pelo menos voltar ao patamar 55000-62000 pontos?

Um comportamento interessante parece estar acontecendo, pois algumas das empresas (dentre as boas, esqueça o grupo X) que mais caíram desde o início do ano (Vale e Gerdau), e que tem bom peso no índice, neste mês são as que estão com rendimento positivo, enquanto o Ibovespa está praticamente no 0 x 0 no mês (-0,12%). Veja a seguir alguns exemplos:

VALE5: -32% (2013) e +3,25% (mês)
GGBR4: -24% (2013) e +8,49% (mês)

Já as mais defensivas estão assim:

AMBV4: -6,5% (2013) e -4,11% (mês)
CCRO3: -11% (2013) e -0,06% (mês)

Isso é particularmente interessante pois em meses anteriores, mais ou menos no meio do mês o Ibovespa vinha caindo ou se mantendo no 0 x 0, mas na prática eram uma composição por um lado de ações de empresas como Vale, Petrobras, Siderúrgicas e Imobiliárias caindo forte, ou seja, puxando o índice para baixo, e por outro lado ações defensivas como elétricas (algumas), concessionárias, educação e ligadas ao consumo com leve alta ou de alguma maneira "segurando" o índice. Exatamente o inverso do que vem acontecendo neste mês de Julho.

Outra constatação é que a semana passada foi a melhor semana do ano para o índice, com alta de +4,1%.

Já os grafistas devem estar dizendo que a linha de tendência de baixa de curto prazo foi rompida nesta semana, mas que ainda falta romper algumas resistências importantes bem como a linha de tendência de baixa de longo prazo. Portanto nada está definido e tudo pode acontecer (como sempre, sic).

Será que tudo isso significa alguma coisa?

Importante:
Este material tem propósito meramente informativo. Não consiste em recomendação financeira ou estratégica para investimentos. Para saber mais sobre as opções de investimento e receber recomendações, procure uma instituição financeira com profissionais habilitados.

Fechamento - Junho 2013

segunda-feira, 1 de julho de 2013

Mês sangrento para a bolsa de valores brasileira. Poucas empresas resistiram ao desastre que foi este mês. E das que fecharam no positivo eu ainda arrisco a dizer que a maioria foi porque teve uma queda muito forte nos últimos dias do mês anterior (maio/13) e portanto partiu de um patamar já baixo.

Como  não poderia ser diferente, a minha carteira sofreu bastante, mas pelo menos conseguiu fechar um pouco acima do Ibovespa (fato relevante para uma carteira 100% RV - ações).

O que salvou um pouco o foi a última semana que fechou ligeiramente positiva. Olhando a rentabilidade semanal versus o Ibovespa, foi possível notar uma característica interessante, quando o Ibovespa caiu a carteira caiu menos e quando o Ibovespa subiu (última semana) a carteira subiu um pouco a mais. Veja abaixo a rentabilidade separada em cada semana.

Rentabilidade Semanal


Com a bolsa caindo do jeito que estava, eu não resisti e fiz uns aportes extras, que foram direcionados para a carteira de sócio (Buy & Hold), aproveitando as "promoções" do mês. No total os aportes foram de cerca de 16% do valor do saldo no final do mês anterior, o que não representa um crescimento da carteira neste montante uma vez que a rentabilidade foi negativa. Estes aportes foram responsáveis por alterar a relação entre a carteira de sócio e a de trade de 72/28 no mês passado para 80/20 neste mês. A composição da carteira  ficou da seguinte maneira:



1) Carteira de Sócio

Rentabilidade no mês: -5,97% (Ibovespa -11,31%)
Rentabilidade acumulada 2013: -8,39% (Ibovespa -22,14%)

Esta carteira tem uma composição mista de blue chips e ações defensivas. Neste mês os aportes foram balanceados nas seguintes ações (CCRO3, AMBV4, CIEL3, VALE5, PETR4 e ITUB4), de maneira a balancear a carteira e aproveitando as "promoções". Como eu já havia antecipado no mês passado, estou diminuindo o peso das blue chips na carteira. Estas (VALE5, PETR4, GGBR4 e ITUB4) que já representaram mais de 50% fecharam o mês com peso de 43,7% da carteira.

A únicas no positivo no mês foram CIEL3 (+1,82%) e AMBV4 (+1,92%). Além disso, destaco também que VALE5 (-5,58%) e GGBR4 (-3,37%), com grande peso no Ibovespa, tiveram rendimento muito superior ao índice.

Por outro lado, os destaques negativos foram PETR4 (-19,30%), ITUB4 (-11,20%), GETI4 (-9,33%) e CCRO3 (-9,42%). Por um lado soa estranho, uma vez que ações defensivas como as concessionárias GETI4 e CCRO4 normalmente caem menos que o índice Ibovespa, porém, por outro lado, isso reflete o ambiente de incerteza provocado pelas manifestações por todo o pais ao longo do mês e o temores do mercado de intervenção do governo nas concessionárias, para reduzir tarifas (ou impedir aumentos).

Veja abaixo como está a carteira de sócio:




1) Carteira de Trade

Rentabilidade no mês: -10,43% (Ibovespa -11,31%)
Rentabilidade acumulada 2013: -14,58% (Ibovespa -22,14%)

A rentabilidade da carteira é uma demonstração que é muito difícil acertar o "timing" do mercado, já que a carteira ficou muito próxima ao Ibovespa. No acumulado do ano, esta carteira ainda ganha do índice, graças à "boa" rentabilidade nos meses anteriores.

Não fiz nenhum aporte nesta carteira, mas fiz algumas movimentações de acordo com o mercado, por entender que algumas ações ofereciam muito risco, foram elas:

Vendas: 
VLID3
ELPL4
BRML3
BRPR3 (que adquiri ao longo do mês e vendi uns dias depois)
ABRE11

Compras:
GOAU4 (aumento de posição)
CMIG4 (aumento de posição)
BRPR3 (que foi vendida em seguida)
AUTM3 (após uma queda muito forte deste papel, consegui pegar fundo e acumula subida de mais de 8%)
HGTX3 (aumento de posição)
CSAN3 (apostei na subida mas ainda está praticamente no zero a zero)

As movimentações foram feitas tentando posicionar-se bem para a esperada recuperação do mercado. Os destaques negativos do mês foram HGTX3 (-18,68%), CMIG4 (-8,04%) e PDGR3 (-8,66%). Vou desconsiderar OGXP3 (-42,75%) pois tenho uma porção tão insignificante que sua rentabilidade em pouco impacta a carteira. Não vale a pena nem vendê-la, pois mal pagaria a corretagem. Já CSAN3 (-8,54%) e AUTM3 (-10,07%) devem ser desconsideradas pois no momento que comprei já estavam desvalorizadas e tiveram impacto positivo na carteira. 

Veja abaixo a composição da carteira de trade.



Rentabilidade Geral

A rentabilidade geral da carteira no mês de junho, de acordo com o sistema de cotas do AdP, foi de -6,90%. Apesar de muito ruim, ainda assim melhor que o Ibovespa que foi -11,31% no mês de junho/13.

No acumulado do ano, minha carteira está em -10,73%, enquanto o Ibovespa já acumula queda de -22,14%.

Veja abaixo o gráfico que representa a rentabilidade mensal e acumulada da carteira (vermelho) e Ibovespa (azul)



Conclusão

Não tem muito o que dizer. Da forma como se comportou o mercado, creio que poucas carteiras 100% em RV tiveram a sorte de não ficar no negativo. Este definitivamente não foi o meu caso. Vou tentar aproveitar o baixo patamar do Ibovespa pra continuar com as compras e esperar pela recuperação do mercado.


Importante:
Este material tem propósito meramente informativo. Não consiste em recomendação financeira ou estratégica para investimentos. Para saber mais sobre as opções de investimento e receber recomendações, procure uma instituição financeira com profissionais habilitados.

 

Seguir por e-mail

Posts Populares

Blogs Favoritos

Estatísticas