O capitalismo de estado

sábado, 21 de fevereiro de 2015

Amigos, ouvi estes dias na rádio CBN uma entrevista com o economista e professor do Insper, Sergio Lazzarini, sobre seu mais recente livro "Reinventando o Capitalismo de Estado". Achei a entrevista e o tema muito interessantes e resolvi compartilhar aqui.



Adianto a todos que não li o livro, mas pelo que entendi trata basicamente de uma discussão sobre as empresas estatais de capital aberto e as diferentes posturas dos governos em se aproveitar ou não das empresas estatais para desvios de recursos ou para fazer política.

Segundo Lazzarini, a situação no Brasil tem se deteriorado nos últimos anos, com governos intervencionistas em determinados setores, como setor elétrico, e que utiliza cada vez mais as estatais para fins políticos, como no caso da Petrobras. Segundo palavras do autor, isso não significa que não podem existir empresas estatais ou que estas serão sempre mal geridas, mas deve haver um esforço dos governantes para aumentar a governança e a regulação dos setores com objetivo de evitar intervir diretamente nas empresas.

Estatais podem existir mas devem servir ao estado e não ao governo, como acontece em terras brasileiras. Ele ainda cita exemplos de empresas estatais em outros países que são muito bem sucedidas, fruto de uma maior regulação e determinações dos próprios governos para aumentar a governança das empresas.

Achei o tema muito interessante. Veja a entrevista completa aqui.



Abraços


10 comentários

  1. O Lazzarrini tem textos muito interessantes sobre o tema capitalismo de estado, gostei bastante desde podcast também....
    https://soundcloud.com/riobravoinvestimentos/sergio-lazzarini-sobre-o-capitalismo-de-estado
    Abraço

    ResponderExcluir
  2. Existe uma regra básica para toda e qualquer empresa que vise lucros (ou seja, capitalista): gestão eficiente, fugindo sua administração dos interesses exclusivos de parte de um grupo ou uma pessoa. O objetivo final não pode ser tornar a empresa um instrumento a favor de interesses particulares, principalmente de gestores ou donos incompetentes (ou corruptos). A empresa, seja estatal ou não, uma hora quebra. A conta sempre chega.
    No caso das estatais, em governos corruptos e cleptocratas como o do Brasil, duas coisas ajudam este sistema doentio a funcionar: a ignorância política e financeira da grande maioria da população e o uso do dinheiro do Tesouro Nacional para cobrir os rombos. Petrobrás deu prejuízo?? Ora bolas, o povo pagará numa boa!!! Só aumentar os preços dos combustíveis e os impostos!! Afinal, o petróleo "é nosso"…
    O problema não é a empresa, é quem toma conta, quem manda realmente no negócio. Quero ver a Petrobrás com diretores competentes e independentes no seu comando, mesmo que sejam de fora do país. É fácil ver o resultado de Embraer e da Vale após a privatização, somente petistas estúpidos são contra isso. Visto que os políticos são os reais "gestores" do Brasil, estatais sempre serão castelos de má gestão, roubos, mentiras, incompetência e desvio do dinheiro público. Vivemos a era da mediocridade, onde o "indicado" tem mais valor que o "aprovado por competência técnica". Nossas péssimas estatais (no geral) são apenas o reflexo do nosso péssimo governo. Isto se chama física… ação (incompetência) e reação (resultados desastrosos), ou na roça o povo simples chama de "plantou, colheu". Não precisa ser um gênio para entender o porquê das coisas na Grécia, Portugal, Brasil… É a máquina socialista esquerdopata em ação.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. HM, exatamente. Empresa estatal realmente tem problemas crônicos, principalmente em um país como o nosso.
      Precisamos ficar atentos e o importante é conhecer os riscos.
      Abraços

      Excluir
  3. Tenho certeza que você conhece este texto, mas vou postar para quem talvez não o conheça:
    "Quando você perceber que, para produzir, precisa obter a autorização de quem não produz nada; quando comprovar que o dinheiro flui para quem negocia não com bens, mas com favores; quando perceber que muitos ficam ricos pelo suborno e por influência, mais que pelo trabalho, e que as leis não nos protegem deles, mas, pelo contrário, são eles que estão protegidos de você; quando perceber que a corrupção é recompensada, e a honestidade se converte em auto-sacrifício; então poderá afirmar, sem temor de errar, que sua sociedade está condenada".
    Ayn Rand

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sugiro a leitura de Alpha Strategy por John Pugsley, tem o pdf adoidado na rede. Não é de investimentos, mas explica bem como as merdas funcionam...

      Excluir
    2. HM, este texto é muito foda. Parece que foi escrito para o Brasil do século 21. Uma pena que estejamos nesta situação.

      Anônimo, valeu, vou dar uma olhada.

      Abraços

      Excluir
  4. Olá EI,

    Muito interessante o assunto abordado.

    Abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu IL,
      Este assunto tem tudo a ver com sua postura de não investir em estatais. Cada vez mais me convenço disso tb.
      Abraços

      Excluir
    2. EI,

      Exatamente! Empresas estatais vivem em uma dimensão paralela, afinal, o Governo tem dinheiro infinito e sempre vai salvar as mesmas em caso de dificuldades.

      Abraços.

      Excluir

 

Seguir por e-mail

Posts Populares

Blogs Favoritos

Estatísticas