Fechamento - Setembro 2015

quinta-feira, 1 de outubro de 2015

A alta volatilidade e as seguidas quedas deram o tom durante este mês de Setembro, que fechou com forte queda, dando sequência ao trágico mês de agosto.

Do ponto de vista psicológico, o momento para o investidor em bolsa de valores no Brasil é um dos piores possíveis, pois a incerteza é um dos maiores atormentadores, principalmente para os menos experientes. 

No meu caso especificamente, após mais de 3 anos de bolsa, estou colhendo resultados muito ruins, o que me leva, em alguns momentos, a questionar se estou no caminho certo e até mesmo a pensamentos do tipo “Porra, esta porcaria de bolsa foi virar este lixo justamente quando eu decidi colocar meu dinheiro aí?"

Desde que comecei a investir na bolsa de valores, posso dizer que evoluí muito, mas muito mesmo, seja pela própria experiência no mercado, pelos estudos informais com a leitura de livros, artigos e blogs, ou ainda pelo estudo formal através do MBA que estou cursando, onde estou tendo oportunidade de conhecer muito a fundo sobre aspectos estratégicos e econômicos de negócios. Esta evolução é o que me faz seguir em frente com a estratégia, aprofundando meus estudos sobre as empresas da carteira, mesmo que ainda sinta falta de sentir uma comprovação que tudo dará certo para mim na prática e no longo prazo (estou exercitando a fé!).

Bom, após este momento “descarrego”, vamos aos resultados:


Alocação: 100% em ações* 
Rentabilidade em Setembro/15: -4,20% (Ibovespa -3,36%)
Acumulado Anual 2015: -8,70% (Ibovespa -9,89%)
Acumulado Histórico Jan/12 - Set/15: -14,04% (Ibovespa -21,03%)

*Tenho também alocação em renda fixa, mas a carteira com a rentabilidade gerenciada e compartilhada aqui no blog é apenas a carteira de ações, uma vez que o propósito principal do blog é o estudo de investimento no mercado de ações.

O aporte na renda variável foi forte, o maior do ano, com valor de cerca de 4,5% da carteira de ações, o restante foi para RF (TD SELIC, IPCA+ 19 e 35), visando recuperar o acúmulo nesta categoria e também para manter a liquidez, prevendo alguns investimentos fora do mercado financeiro nos próximos meses.

Os aportes em ações foram para CMIG3, WEGE3, CIEL3, CCRO3, PSSA3 e UGPA3, seguindo a metodologia de alocação de ativos.

Veja que usando a metodologia de alocação de ativos, a carteira abriu espaço para alocação em papéis que normalmente estão em patamares considerados caros, como CIEL3, WEGE3 e UGPA3.

Veja como ficou a composição da carteira:

 

Este mês foi de alta volatilidade na bolsa, que operou no positivo por boa parte do mês e virou para o negativo na segunda quinzena. Dentre os papéis da carteira, alguns conseguiram se manter no positivo, são eles GRND3 (+7,96%), UGPA3 (+5,25%) e GGBR4 (+4,19%). A ponta negativa foi liderada por CCRO3(-18,21%), NATU3 (+17,69%) e ETER3 (-16,35%).

Em um cenário de tanta volatilidade, é até dificil explicar o porquê de cada uma delas ter tido tal performance, pois tanto pode ser um problema de queda seguindo o pessimismo geral, como uma recuperação temporária após tantas quedas nos últimos tempos. Temos que esperar o mercado se acalmar (ou a maré baixar), para, como diz Buffett, ver quem está nadando nú.
Abaixo a performance da carteira no ano, comparado com o Ibovespa.
 

Conclusão

Mês de queda acentuada na bolsa e a minha carteira foi junto (pelo segundo mês seguido). A carteira permanece superior ao índice tanto no anual como no histórico, mas esta diferença já foi maior. Se considerar uma comparação com o CDI, o resultado da carteira de ações é desastroso em todos os aspectos, infelizmente é o risco da renda variável.
Vou recuperar o que foi investido? pode ser, mas não no curto prazo. Por enquanto, como já disse anteriormente, sigo esperando pacientemente a tempestade passar ...
Importante:
Este material tem propósito meramente informativo. Não consiste em recomendação financeira ou estratégica para investimentos. Para saber mais sobre as opções de investimento e receber recomendações, procure uma instituição financeira com profissionais habilitados.


16 comentários

  1. é meu caro.... na compra não está fácil pra ninguém... e fazer hedge com opções ou um mini?

    Estou linkando seu blog no meu, se quiser conhecer http://analiseinvestimento.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Rodolfo, realmente a coisa está complicada. Obrigado pela referência. Vou linkar aqui também.
      No momento não tenho nenhum objetivo de fazer hedge, justamente por falta de conhecimento e também tempo.
      Abraços

      Excluir
  2. Muito boa sua carteira! Com essas empresas no longo prazo, acho bem improvável que seu dinheiro não volte com bons juros, rs.

    Abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. LCN, eu também acho improvável, por isso sigo exercitando a fé.
      Abraços

      Excluir
  3. 3 anos em 30 não faz nem cosquinha, siga com o plano, e atenção para algumas empresas aí, teriam outras melhores para aportar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Uó, realmente este é um dos principais motivadores para acreditar que dará certo (3 anos em 30 não faz cosquinha ...). Eu acredito
      Abraços

      Excluir
    2. O que é o Uó disse é a pura verdade...

      Excluir
  4. Se você terminou o mês dono de mais ativos que no anterior, tudo certo.

    O preço deles não tem grande importância quando você não tem o menor interesse em vendê-los, não é mesmo? rs

    Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. LdL, este é um bom ponto de vista. Valeu!
      Abraços

      Excluir
  5. Também tinha ccr mas acabei vendendo depois que passei a entender melhor no longo prazo esse modelo de concessões adotado pelo governo tende a quebrar qualquer empresa

    Como não dá pra mudar isso optei por sair na época aliás além desse ainda tinha outro motivos pesando contra a ccr

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. VdD, valeu pelo comentário. Acho que o modelo de concessão como está não vai ter vida muito longa (o próprio governo já mudou a postura dada a falta de interesse de concessionárias). Além disso, os governos estão sempre mudando de mãos.

      Minha preocupação é o envolvimento dos controladores na lava-jato.

      Abraços

      Excluir
  6. Também vejo alguns resultados que me desanimam na minha carteira. Desanima ainda mais a minha esposa, que fala que eu estou torrando o dinheiro na bolsa errada, rs.

    Mas a estratégia é de prazo maior. A IF não chega tão rápido. É preciso paciência e acreditar no que está fazendo.

    Abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ID, é isso mesmo, alguns resultados decepcionam momentaneamente, mas após uma reflexão mais profunda, fico mais confiante na estratégia.

      Sobre a esposa, tenho o mesmo problema, pois a minha também fica me cobrando por continuar colocando dinheiro na bolsa enquanto as notícias são só de tragédia. Mas por enquanto ela está acreditando na minha estratégia.

      Isso mesmo, estratégia é para longo prazo e portanto não podemos nos abalar por "derrotas" no curto prazo. Seguimos exercitando a paciência todos os dias.

      Abraços

      Excluir
  7. Arrependo-me hoje de ter comprado CCR no passado...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Guardião, me arrepender eu não me arrependo. Eu confio na gestão da empresa e acredito que façam um bom trabalho. Me preocupa, como foi falado acima o modelo de concessão deste pseudo-governo que está aí e o possivel envolvimento da empresa na lava-jato.
      No longo prazo me parece um negócio viável e lucrativo, mas com estes riscos que apontei.
      Não desanime.
      Abraços

      Excluir
    2. EI,

      Eu também estou tranquilo com a CCR. Cobrar pedágio é uma coisa maravilhosa, o tipo de negócio que o mito Buffet certamente assinaria em baixo.

      Abraços.

      Excluir

 

Seguir por e-mail

Posts Populares

Blogs Favoritos

Estatísticas