Atualização proventos até Julho 2016

terça-feira, 9 de agosto de 2016

Mais uma vez apresento uma avaliação dos proventos recebidos nos últimos meses. A última atualização desta informação tinha sido até março de 2016.

Lembro a todos que eu estipulei uma renda passiva desejada para aposentadoria que servirá de base para avaliação do avanço dos proventos ao longo do tempo. Não é meu objetivo obter toda a renda passiva através de proventos de ações, pois a renda pode vir de outras classes de ativos como RF, FIIs e imóveis, etc, mas é um bom parâmetro para acompanhar o crescimento.


Veja no gráfico abaixo o valor dos proventos recebidos e a proporção da renda passiva alcançada (média de 12 meses)




Média mensal 12 meses terminados em Jul/16 x Renda Passiva desejada: 9,3%

Proventos Totais 12 meses terminados em Jul/16 x Jul/15: 
-4,8%

Pode ser verificado que houve um aumento dos valores nominais dos proventos nos meses de abril e maio de 2016 em comparação com o ano anterior, porém os meses de junho e julho foram praticamente sem proventos, o que contribui para a queda nominal de 4,8% nos proventos no comparativo de 12 meses, esta instabilidade ainda é fruto de menor lucratividade das empresas em função da crise, e consequentemente menores proventos.


Verifica-se ainda o impacto da inflação sobre os objetivos de renda passiva. Como a renda passiva desejada foi reajustada pela inflação de 2015, acima de 10%, o percentual da renda passiva obtido através dos proventos foi impactado negativamente, impulsionado ainda pela queda nominal dos proventos. (item anterior).

Verifica-se que mesmo com aportes nos últimos meses, o resultado segue ruim, mas dentro do esperado considerando o cenário econômico que vivemos. Acredito que no longo prazo, os aportes periódicos terão um efeito impulsionador que deverá reverter esta situação. Este acompanhamento, no longo prazo, irá nos mostrar estes efeitos.

Abraços.

Importante:
Este material tem propósito meramente informativo. Não consiste em recomendação financeira ou estratégica para investimentos. Para saber mais sobre as opções de investimento e receber recomendações, procure uma instituição financeira com profissionais habilitados.




13 comentários

  1. EI,

    Não tem mágica. Achei seu resultado bom, tendo em vista as circunstâncias. O jeito é continuar aportando e esperar o cenário melhorar. Sem aumentos significativos nos lucros, empresa nenhuma irá aumentar nossos proventos.

    Seguimos firmes.

    Abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. PM,
      É isso mesmo, o negócio é seguir aportando e aguardar a melhora no cenário econômico.
      Seguimos firmes na luta.
      Abraços

      Excluir
  2. Ola EI,

    Eu nao sei se estou certo, mas tenho a impressao de que viver de dividendos só seria possivel com mais de 3, 4 milhoes aplicados, por achar as distribuicoes inconstantes.

    A inflacao continua sendo nosso pior inimigo no aumento patrimonial.

    Atualmente nao gasto menos que R$ 5,00 ao ir numa padaria comprar o simples, isto me preocupa.

    Agora, receber praticamente 10% do desejado em acoes neste periodo de crise e 'vacas magras' realmente è muito consideravel.

    Abraco

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. VDC, você está certo com respeito aos dividendos, mas saiba que meu objetivo não é ter a renda passiva total em dividendos, mas ter uma parte da renda passiva paga por esta classe de ativos. Faz tempo que não calculo, mas o yield médio da minha carteira gira em torno de 3% e 4% ao ano.

      A inflação é o pior inimigo da população, sobretudo a população mais carente, e não podemos bobear, pois corroe a renda e o patrimônio.

      Acho que 10% da renda passiva em dividendos é um valor relevante. Penso que chegar a 30% da renda passiva proveniente de dividendos e para isso deveria chegar mesmo em uns 30% do valor mencionado por você somente em ações. O restante viria de outras classes de ativos.
      Abraços

      Excluir
  3. Até que não está ruim visto o momento que o país vem atravessando.


    Quer trocar blogs relacionados?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. VLI,
      A situação não é boa, mas dada a situação do país não tem muito o que fazer a não ser aguardar.
      Abraços

      Excluir
  4. EI,

    Interessante o estudo ... mas acho que é um reflexo do mundo todo ... com juros quase 0, dinheiro entra em investimentos cada vez com menos retorno...

    Uma hora a conta disso vai chegar ...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Rodolfo, acho que por aqui o impacto é mesmo a queda da receita, do lucro e consequentemente menos dividendos.
      A questão dos juros baixos lá fora eu não acho que tenha influência direta nos dividendos pagos por aqui, mas é achismo mesmo, pois pode ser que tenha e eu esteja errado.
      Abraços

      Excluir
  5. Olá colega E.I.!
    Viver de dividendos de ações no Brasil tá osso.
    Adicionei o seu blog no meu RSS Feed Reader (http://abacusliquid.com/blogosfera/)
    Quando tiver uma oportunidade adicione também o meu novo site no seu reader (http://abacusliquid.com).
    Grande Abraço!

    ResponderExcluir
  6. Nossa esse mês estou fazendo profundas modificações na minha carteira. Tanto de FII como de Ações. Justamente com o intuído de aumentar proventos.
    Se vai funcionar só o tempo dirá. Esse ano tenho me saido bem nas mudanças que fiz. Vamos aguardar!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sandman,
      Que bom que as modificações estão dando certo. Eu particularmente não tenho feito muitas mudanças na carteira recentemente. Em princípio não devo fazer nenhuma mudança no curto prazo.
      Sobre os proventos, eu honestamente não tenho procuro fazer nada para aumentar proventos e na realizado uso os proventos apenas como um parâmetro de andamento da carteira/patrimônio.
      Abraços

      Excluir
  7. Olá E.I acredito pelos motivos expostos em sua postagem que também no meu caso, meus proventos vão ser menores em 2016 do que no ano passado mesmo com a compra contínua de mais ações.

    ResponderExcluir

 

Seguir por e-mail

Posts Populares

Blogs Favoritos

Estatísticas