O que aprendi sobre a carreira profissional

quinta-feira, 18 de agosto de 2016

Amigos, faz tempo que estou para escrever um pouco sobre a minha carreira profissional e finalmente o post saiu do forno. Eu prometi para alguns colegas blogueiros, como o VDC, que iria falar mais sobre isso, mas eu não estava encontrando a inspiração ou a forma ideal de falar.

Eu poderia contar detalhadamente cada passo da minha carreira, o que talvez não coubesse em um post, mas decidi fazer de uma forma diferente, por isso vou contar bem resumidamente a minha trajetória e ao final compartilhar algumas experiências e pensamentos que me fizeram chegar até aqui.


A Carreira

Minha formação e minha carreira se desenvolveram totalmente na área de TI como funcionário de empresas privadas. Posso dividir minha carreira em 3 fases distintas: Desenvolvedor, Gerente de Projetos e o que vou chamar de “Gerente Funcional”.

Desenvolvedor / Analista de Sistemas (1994 – 2002)

Comecei como estagiário aos 16 anos em uma empresa pequena que prestava serviços para grandes empresas. Neste período me formei no colegial técnico, na faculdade e concluí minha primeira pós graduação, em análise de sistemas. Basicamente trabalhei em apenas uma empresa, que era pequena e ficou média. Como estava desde o começo, fui crescendo com a empresa, me reportando ao dono. Eu tinha um bom reconhecimento e remuneração, mas chegou um momento em que não tinha mais para onde crescer nesta empresa.

Gerente de Projetos (2002 – 2009)

Um pouco cansado de desenvolvimento de sistemas, migrei para a área de Gestão de Projetos. Neste período fiz minha segunda pós-graduação, agora em gestão de projetos, e me certifiquei PMP (project Management Professional) pelo PMI. Trabalhei em algumas empresas maiores e consultorias por períodos mais curtos (média 1 a 2 anos), buscando me aprimorar e me consolidar na área de gestão de projetos. Finalmente, da metade para o final deste período, já mais experiente, entrei na empresa que estou até hoje, que é uma multinacional de porte médio.

“Gerente Funcional” (2009 – atual)

Tive a oportunidade de sair da área de projetos e migrar para a área de negócios, portanto passei e estar ligado diretamente ao sucesso da empresa (que por acaso é de TI). Neste período a empresa passou por duas fusões e eu tive a oportunidade de ir subindo na carreira até uma posição bastante relevante no país. À partir de então decidi me interessar mais por negócios e finanças (criei até este blog em 2013), e fiz um MBA concluído este ano em Gestão de Negócios.
Honestamente compartilho com vocês que cheguei muito mais longe do que eu algum dia imaginei ou planejei. Não que eu não sonhasse alto, mas eu não imaginava chegar onde cheguei, muito menos em tão pouco tempo.

O que aprendi neste período, que acho que serve para a carreira e para a vida

Não se prenda aos seus planos: Os planos de médio e longo prazo são bons para te dar uma base, mas tantas coisas acontecem no meio que você nunca vai cumprir um plano exatamente como planejado. Eu posso afirmar que em nenhum período de 5 anos (se bobear até de 2 anos) as coisas aconteceram exatamente como que eu havia planejado. Tenho amigos que estão há vinte anos fazendo planos rígidos e nunca sairam do lugar. Um nunca fiz muitos planos e tive uma evolução fantástica.

Diferencie-se pela qualificação: A qualificação é chave para seu sucesso. Estude e especialize-se na sua área de atuação e assuntos correlatos, como negócios, finanças e inglês. É inadmissível alguém despreparado. Não dá, por exemplo, para não ter um bom nível de inglês nos dias de hoje. Você precisa ser muito bom em algumas coisas (pelo menos uma). O mundo está cheio de gente nota 7, você precisa ser 10 em algo e não é no video-game. Alguém vai me perguntar se o único caminho é a especialização e se não dá para ser generalista. Na verdade dá, e eu me considero generalista, mas você precisa ser O MELHOR generalista, o que significa ser nota 9 ou 10 em muitas coisas ao mesmo tempo.

Corra atrás e não espere que alguém resolva seus problemas: Eu fiz 2 pós-graduações, MBA e cursos de inglês totalmente pagos com recursos próprios. Infelizmente as empresas em que trabalhei não tinham políticas de pagamento de estudos. Isso não me impediu de fazer nenhum destes cursos nem inúmeras outras coisas que fiz por minha conta.

Faça o que tem que ser feito na hora que tem que ser feito: Este item está relacionado ao item acima. Se você precisa estudar algo específico, vá lá e resolva. Isso não serve apenas para a vida profissional, mas também na pessoal. Se você quer aprender a jogar tênis (ou qualquer outro esporte), pesquise uma escola e se matricule (ou encontre outra forma de jogar). É horrível ver aquelas pessoas que vivem dizendo: “meu sonho é aprender tal coisa” (sei lá, pode ser cozinhar), aí você encontra a pessoa 5 anos depois e pergunta como ela está cozinhando, aí ela diz que está nos planos aprender mas ainda não fez nada. Tenho muitos amigos assim com vários assuntos como viagem, estudo, trabalho, esportes, ter filhos, etc. Porra, estão esperando o que?

Diferencie-se pela atitude: Um dia destes, visitando um cliente, vi a frase naquelas placas motivacionais nos corredores “ATITUDE DE DONO”. Esta frase acho que é a que melhor reflere como deve ser a atitude de um profissional. Pense na empresa como se fosse sua, resolva os problemas ao invés de ficar reclamando deles. Antes de reclamar de algo, pense o que você está fazendo e que poderia fazer melhor. A menos que você faça tudo perfeito (o que é impossível), você tem o direito de simplesmente reclamar do trabalho dos outros sem tomar nenhuma atitude.

Assuma a responsabilidade: O que chamam de “ownership”. Você pegou um trabalho para fazer, você é o responsável pelo sucesso. Alguém fez algo errado e prejudicou seu trabalho/resultado, o responsável é você (ponto). Pare de jogar a culpa nos outros. A sua responsabilidade é criar as condições para que a coisa dê certo, se não deu, ou você não criou as condições para garantir e aí a culpa é sua ou você fez tudo certo e aconteceu uma fatalidade, o que ameniza a sua culpa, e bola pra frente.

Gaste menos do que ganha: Isso eu acho que resume bem como deve ser nosso comportamento com relação a renda, despesas e finanças pessoais. Responsabilidade ou disciplina financeira é chave para seu sucesso. Você quer comprar uma Mercedes (ah como eu quero!), então trabalhe muito, ganhe dinheiro e entenda plenamente os custos e como se encaixa no seu patamar de renda. Se não cabe no seu orçamento (aí cada um determina o nível de “folga), trabalhe mais ou se contente com menos. Simples assim. Isso indiretamente afeta sua vida profissional, pois vai determinar o nível de esforço para a realização dos seus sonhos.

Seja campeão e agregue valor com seu trabalho: Não adianta ser aquele funcionário que faz tudo certinho, mas que não aparece pra ninguém. Você tem que dar a sua cara a tapa na vida profissional, correr riscos e se expor se quiser realmente se destacar. Só assim você será realmente visto e lembrado. Faça mais do que é o seu “job description”. O Barrichello cumpriu a risca seu contrato e deve ter ganhado prêmio de funcionário do mês na Ferrari por muito tempo. É assim que você quer ser visto? Valeu a pena a grana que ganhou? Se valeu ok, mas será que não poderia ser diferente?

Ética em primeiro lugar: Aqui entram muitas coisas que se sobrepoe aos itens acima, mas acho que vale destacar. Não estou dizendo que você deve ser o cara mais bobinho da empresa, mas que tem que ter ética em todos os aspectos, desde relações externas (com clientes e fornecedores) ou internas (com seus pares, subordinados e superiores). Sobre os superiores, vale uma observação. Se você se reporta para alguém, mesmo que um mané, você deve respeitar a hierarquia sempre. Se não está satisfeito com seu chefe, encontre uma maneira de mudar de área ou de empresa. Tentar derrubar o chefe ou desrespeitá-lo é uma péssima estratégia. Em resumo sobre a ética, perceba que algumas vezes ao ser ético você pode não ter os melhores resultados de curto prazo, mas as suas atitudes serão percebidas e isso faz toda a diferença no longo prazo.

Esta lista foi escrita meio ao acaso, portanto não se esgota aqui e não tem embasamento científico nenhum. Eu poderia fazer uma revisão detalhada, procurar textos relacionados para ficar uma lista mais “comercial”, tipo livros so Gustavo Cerbasi, mas decidi publicar assim mesmo e assumir a responsabilidade pelos comentários.

* Eu me reservo o direito de revisar a lista com o objetivo de complementar ou ajustar algum item cujo texto ofereça uma interpretação inadequada.


Abraços

25 comentários

  1. EI,

    É realmente esses posts sobre a parte pessoal são bacanas.. o VDC me pediu a mesma coisa.. fiquei pensando.. mas que diferença faz, estamos falando de investimentos ..

    Mas realmente é bacana... farei um post desse tb .. Mais um da área de TI... eu trabalho com SAP, apesar da formação em Adm.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Rodolfo, obrigado pelo feedback. Também tenho dúvidas sobre a real utilidade destes posts para os leitores, mas o fato de parar e pensar para escrever, já vale a pena, mesmo que ninguém leia (sic).

      Se pelo menos uma pessoa comenta, aí já vale mais ainda.

      Fale um pouco mais sobre seu trabalho com SAP. Minha empresa é focada em infra-estrutura.

      Abraços

      Excluir
    2. Gostei da parte de SAP. Quase fui para a area, programacao Abap na epoca me interessava.

      Um irmao de uma colega trabalha com Sap RH, ele e PJ e tem rendimentos na casa de 18K a 25K prestando servicos para grandes empresas.

      Ta devendo o post hein Rodolfo. Hehe

      Abraco

      Excluir
    3. Gostei da parte de SAP. Quase fui para a area, programacao Abap na epoca me interessava.

      Um irmao de uma colega trabalha com Sap RH, ele e PJ e tem rendimentos na casa de 18K a 25K prestando servicos para grandes empresas.

      Ta devendo o post hein Rodolfo. Hehe

      Abraco

      Excluir
    4. EI e VDC,

      Então o sap é um pouco diferente, acho que até por isso consegui me inserir com facilidade. Acho que é um dos poucos sistemas onde a área de TI se divide entre, funcionais e programadores. Eu tenho bom conhecimento de programação, mas meu ponto mais forte foi sempre conhecimento de negócio, por ser formado em adm e ter trabalhado alguns anos em áreas como logística.

      Trabalho no módulo de logística. Quanto a esses rendimentos aí, é dificil. Quem trabalha em módulos mais "core" como logística, contabilidade... não chega a essas cifras não, ainda mais em uma cidade menor como Curitiba. o Módulo de RH é hoje o maior salário do SAP, e praticamente não existe mais pjs (obrigado ao ministério do trabalho petista que pra aumentar o número de carteira assinadas e nos dar muitos "benefícios" acabou com isso, só pra ter uma ideia um pj ganha tranquilamente o dobro de um clt, devido a todos os encargos do clt.

      Outra é que não estou a tanto tempo assim na área de SAP, trabalhei em áreas diversas, inclusive logística, adm te dá essa facilidade, fui operador na xp investimentos, ai, resolvi entrar de cabeça na área de sap ...

      Normalmente quando se fala em SAP é pra grandes empresas, porque, a licença são alguns milhões por ano, não é pra qualquer faturamento. Praticamente todas as empresas brasileiras na bolsa são SAP.

      Excluir
    5. Sem muita preocupacao com o anonimato, ja tive contato com time accenture de curitiba.

      Tenho uma grande amiga que mudou da minha cidade para trabalhar ai com sap, uma pena q tenho tido poucas viagens a negocio para curitiba ultimamente, pois era muito bom passear por ai,

      Inclusive quando vou fico no hotel full jazz, um dos que eu mais gosto.

      Vi alguns atores e atrizes da globo nas vezes que fiquei ai.

      Um abraco

      Excluir
    6. Sem muita preocupacao com o anonimato, ja tive contato com time accenture de curitiba.

      Tenho uma grande amiga que mudou da minha cidade para trabalhar ai com sap, uma pena q tenho tido poucas viagens a negocio para curitiba ultimamente, pois era muito bom passear por ai,

      Inclusive quando vou fico no hotel full jazz, um dos que eu mais gosto.

      Vi alguns atores e atrizes da globo nas vezes que fiquei ai.

      Um abraco

      Excluir
  2. Excelentes dicas E.I., os mais novos sempre tem o que aprender com os mais experientes, e os mais velhos também, rs.
    Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu Uó, obviamente é mais útil para os mais novos, mas espero que sirva para todas as idades.
      Abraços

      Excluir
  3. EI,

    Muito bacana sua carreira e parabéns pelo que conquistou. Foram 22 anos de trabalho e qualificação profissional, então, você de fato fez por merecer.

    Suas dicas são valiosíssimas, e certamente quem segui-las conseguirá um ascenso profissional. O desafio é conseguir manter o mesmo foco e motivação ao longo de tantos anos, assim como você fez.

    No mais, muito motivador. Este é um texto para se ler e reler várias vezes.

    Abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. PM,
      Realmente 22 anos não é pouco tempo e manter o foco é um desafio grande. Algo que me ajudou muito é que não passo muito tempo fazendo a mesma coisa.

      Obrigado pelo feedback.

      Abraços

      Excluir
  4. Ola EI,

    Poxa vida, que baita post! Excelente.

    Comparando minha carreira com a sua, eu hoje estou na fase 2 (Gerente Projetos) começando a ser lembrado para cargos de supervisao, o que è o primeiro passo.

    Atualmente fico pensando se valeria a pena ser PMI ... Este è um titulo que nao tenho.

    Muito bom texto, acho este compartilhamento muito valido.

    Abraco

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Legal VDC, que bom que gostou. Você foi um dos que me incentivou a escrever.

      Realmente pela idade e cargo, você está na fase 2. O que posso dizer é que existe um potencial enorme de aumento de renda pela frente ...

      Sobre o PMI, eu acho que vale a pena sim, sempre. Obviamente o timing já passou um pouco (eu tirei em 2004) e além do PMP você poderia verificar outros níveis de certificação, pois estas credenciais são valorizadas pelo mercado.

      Abraços

      Excluir
  5. Respostas
    1. VDD, Excelente pergunta.

      Em termos de estudo, eu devo fazer o módulo internacional do MBA nos próximos 12 meses. Depois disso pretendo fazer cursos de governança corporativa e eventualmente curso para conselheiro de administração do IBGC.

      Já em relação a carreira, são várias possibilidades que serão concretizadas (ou não) dependendo de como as coisas se desenrolarem:

      A opção mais conservadora é continuar a carreira na empresa em que estou, uma vez que ainda tenho alguns degraus pela frente, tenho uma boa remuneração e um bom reconhecimento. Obviamente depende dos resultados, da crise, de mudanças nos níveis superiores e eventuais fusões que a empresa venha a passar.

      Outra alternativa é buscar uma posição semelhante ou superior em outra empresa do mercado. Tenho colegas que sairam da empresa que estou e se posicionaram muito bem. Pela minha posição atual eu acredito que seria um profissional bem atraente. Esta alternativa no momento depende da minha continuidade na empresa atual ou até mesmo da continuidade de superiores e da visualização de possibilidades futuras. Se não visualizar possibilidades no médio prazo caio fora.

      Mais no longo prazo vislumbro uma carreira como gestor de negócio, eventualmente desvinculando-me da TI. Caso construa uma boa reputação, abre-se uma possibilidade para conselho de administração (quem sabe?).

      Uma completa reviravolta, tipo mudar para o exterior, não está descartada. Tenho cidadania espanhola e passar uma temporada lá seria ótimo para mim e para a família. Para mim é mais fácil "largar" meu trabalho, buscar algo lá e eventualmente voltar e continuar aqui de onde parei. Já minha esposa, que é profissional liberal aqui, teria que buscar outro tipo de trabalho lá, o que é um impeditivo, sem contar que ela não consegue "largar" por um tempo para retomar depois.

      Como eu disse no post, os planos são importantes em linhas gerais, mas o que vai acontecer mesmo não dá pra prever.

      Abraços

      Excluir
  6. Penso ser importante este tipo de texto para lembrar aos iniciantes que não somos profissionais de mercado tentando vender um mundo mágico a quem procura por informações sobre investimentos, mas poupadores que decidiram pensar fora da caixa e compartilhar suas experiências financeiras uns com os outros.

    Parabéns pelo texto e pela trajetória, EI!

    Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. LDL,
      Concordo com você. Não me proponho aqui a ser um grande escritor motivacional, mas acredito que através do compartilhamento de experiências reais, podemos ajudar e aprender.
      Se algumas poucas pessoas lerem este texto e pararem para pensar o que poderiam fazer melhor, acredito que a comunidade como um todo tende a ganhar.
      Abraços

      Excluir
  7. EI, excelente artigo, venho acompanhando vários blogs de finanças, e encontrei seu artigo através do VDC.
    Sou da Engenharia e uma negação em TI.

    Estou estudando há um ano para começar meu sonho de Independência Financeira, mas tá meio difícil, tenho duas filhas que estudam no melhor colégio da cidade, isso impacta muito nas minhas finanças.

    Sobre a carreira, eu praticamente engato uma especialização atrás da outra, mas no meu setor a crise e picaretas afetam demais o desempenho e o rendimento, veja o exemplo do Pobre Engenheiro.

    Também estou pensando em abrir um blog, pelo menos para narrar minha saga rumo a IF, e contribuir com a galera da blogosfera.
    No mais um abraço e sucesso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Rica,

      O fato de ter duas filhas e gastar muito com o estudo é um indicativo que você está ganhando pouco (ou a escola está acima das suas possibilidades). Foque em encontrar maneiras de aumentar a renda. Enquanto isso não acontece, reduza outros gastos para tentar aumentar a sobra para acumulação de patrimônio.

      Acho que especialização é importante, mas muitas especializações o tornam especialista "em nada" (ou generalista). Não sei detalhes do seu caso, mas talvez falte um pouco de foco. Tente focar num direcionamento para a carreira e siga este caminho.

      Eu não acredito nesse negócios de "a crise e os picaretas". Esqueça os outros, foque em você e no longo prazo. A crise e os picaretas vão ficar pra trás, é tudo uma questão de tempo.

      Abrir um blog tem que ser algo natural, onde você tenha prazer de relatar e compartilhar informações. Eu gosto muito em alguns momentos, já em outros não tenho paciência. O importante é se esforçar para manter a consistência e a longevidade. Muitos blogs morrem em poucos meses após a primeira postagem

      Abraços

      Excluir
    2. Obrigado pela dica.
      Vamos rumo a IF

      Excluir
  8. Bela carreira EI!

    Sem dúvidas emigrar é o plano de muita gente.
    Estou estudando muito para tentar isso no médio prazo.
    Grande abraço.

    ResponderExcluir
  9. Bela Carreira EI! Parabéns!

    Estava passeando pelos blogs de finança e descobri o seu. Muito legal esse post, sou de TI também porem da area de Redes. Vou ler e reler essas dicas, afinal sao valiosissimas!

    Abs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu Inglês, obrigado pela visita. Que bom que gostou do post.
      Vamos trocar uma figurinhas. Que faz especificamente na área de redes?
      Abraços

      Excluir
  10. Boa noite,

    Quais livros mais te ajudaram na evolução de sua carreira?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá AnalistaInvestidor,

      Tenho que confessar que não sou um leitor muito assíduo ... mas dentre os livros que mais me ajudaram na carreira estão:

      - O 7 hábitos das pessoas altamente eficazes
      - O poder do hábito
      - a estratégia do oceano azul
      - Execução (Ram Charan)

      Alem destes li alguns de economia e finanças.

      Abraços

      Excluir

 

Seguir por e-mail

Posts Populares

Blogs Favoritos

Estatísticas