Fechamento - Agosto 2017

segunda-feira, 4 de setembro de 2017

Dois meses seguidos de alta forte na bolsa, todo mundo empolgado e feliz com as carteiras bombando. Empolgação esta que começa a me assustar, mas seguimos a estratégia que está dando certo, principalmente agora que completou 5 anos.

Alocação: 100% em ações* 
Rentabilidade em Agosto/17: +6,02% (Ibovespa 
+7,46%)
Acumulado no Ano de 2017: +25,93% (Ibovespa +16,21%)
Acumulado Histórico Jan/12 - Ago/17: +28,30% (Ibovespa +24,14%)



N O V I D A D E


rentabilidade acumulada acima, apesar de usar o sistema de cotas, começa a ficar distorcida ao longo do tempo, pois esta não considera o tempo em que os aportes ocorreram, portanto uma rentabilidade acumulada de 28,30% pode ser muito boa em algumas situações, mas em um período, por exemplo de 20 anos, seria péssima.

Desta forma, estou mantendo a métrica acumulada apenas para efeito de comparação e histórico, mas tenho apurado a taxa interna de retorno (TIR) mensal e anual, para servir de parâmetro adicional.

Taxa Interna de Retorno (TIR) desde Jan/2012: 0,603% a.m. (7,48% a.a.)

O que estes números da TIR significam?

Não vou entrar em detalhes sobre o que significa a TIR, uma vez que é um conceito bastante difundido na disciplina de matemática financeira. Apenas para facilitar, resolvi copiar e colar aqui abaixo uma descrição resumida, conforme pode ser encontrado no Wikipedia em https://pt.wikipedia.org/wiki/Taxa_interna_de_retorno

TIR é uma taxa de desconto hipotética que, quando aplicada a um fluxo de caixa, faz com que os valores das despesas, trazidos ao valor presente, seja igual aos valores dos retornos dos investimentos, também trazidos ao valor presente.

De uma forma bastante simplista, sabemos que 0,603% a.m. e 7,48% a.a., foram as respectivas taxas mensais e anuais de retorno de meu investimento, levando em consideração o fluxo de caixa real. Quando comparamos a inflação média do periodo, que foi de 7% a.a, podemos concluir que ganhou por pouco da inflação (7,48% contra 7%), mas perdeu para o CDI que teve média superior a 10% a.a. nos últimos 5 anos.

Em breve pretendo fazer outras postagens com algumas simulações que podem servir de base para comparar com o Ibovespa

*Tenho também alocação em renda fixa, mas a carteira com a rentabilidade gerenciada e compartilhada aqui no blog é apenas a carteira de ações, uma vez que o propósito principal do blog é o estudo de investimento no mercado de ações.

Importante:
Este material tem propósito meramente informativo. Não consiste em recomendação financeira ou estratégica para investimentos. Para saber mais sobre as opções de investimento e receber recomendações, procure uma instituição financeira com profissionais habilitados.

10 comentários

  1. Olá EI!

    É cara, sua comparação com o CDI mostra o porquê não devemos ignorar a rf aqui... pelo menos por enquanto

    Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Inglês, pois é, RF neste pais é realmente matadora. temos apenas que lembrar que foi um periodo muito bom para o CDI (alta SELIC) e um dos mais turbulentos da história, em se tratando de bolsa.

      Outro ponto é que a minha rentabilidade em bolsa é calculada usando a rentabilidade líquida, desconsiderando impostos, uma vez que temos o mecanismo de vendas abaixo de 20K e os dividendos que não são tributados (ainda).
      No caso do CDI, há de se descontar pelo menos 15% da rentabilidade que seria o piso para aplicações com mais de 2 anos. Se considerarmos o CDI bruto em 10%, o liquido seria uns 8,5%.

      Mas de fato não podemos ignorar, por isso minha carteira interira é uns 30% RV e 70% RF.

      Abraços

      Excluir
  2. Olá EI,

    Eu percdbi recentemente que estava utilizando de forma errada a planilha de cotas e resolvi utilizar a TIR sobre o mesmo período. Como eu comecei em Janeiro/2016 quando o Ibov estava 37k a minha rentabilidade mensal está em 1,37% mensal e o equivalente a 17,88% anualizado, mas o meu período de observação é muito curto.

    Mas para poder comparar com o Ibovespa é necessário utilizar a planilha de cotas porque o Ibov é contabilizado pelo TWRR (Time Weighted Rate of Return) que é diferente de Taxa Interna de Retorno. Mais informações em https://www.canadianportfoliomanagerblog.com/how-to-calculate-your-portfolios-rate-of-return/

    Ainda pretendo escrever sobre isso. Grande abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. AF, obrigado pela sua mensagem. O problema é que sistema de cotas começa a distorcer o retorno e no longo prazo o resultado dela não tem muito parâmetro para comparação.

      Para poder comparar o Ibovespa com o sistema de cotas, temos que simular os aportes em uma cota que segue o Ibovespa.

      Achei interessante o material que você enviou. Eu já tinha lido sobre TWRR, mas gostei da forma como está explicado neste link e vou estudar com mais calma.

      Eu fiz umas simulações dos meus aportes no Ibovespa e calculei a TIR (do que seria o meu resultado se tivesse aportado diretamente no índice). O resultado seria melhor (vou fazer um post sobre isso), mas ao considerar o IR que é pago em aplicações em ETF (15%) fica quase elas por elas.

      Abraços

      Excluir
  3. Sensacional! Resolvi fazer o calculo da TIR dos meus investimentos e deu 0,8% a.m.

    Onde vc encontra os dados para comparar com o CDI e Bovespa?

    Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi M1M, realmente a TIR vai te dar uma visão mais clara.

      Sobre comparar com o CDI, você tem que pegar o CDI anual em cada um dos anos, do periodo de investimento, e calcular o mensal. No caso do CDI é mais tranquilo, pois é contínuo, já o Ibovespa é mais complicado. Eu uso o acumulado de 2012 prá cá, ou seja, se estava 50.000 pontos em 2012 e em 2017 chegou em 60.000, meu cálculo chega nos 20% de retorno, mas este cálculo não serve de muita coisa. Para o cálculo correto você tem que levar em conta o tempo e os valores aportados em cada ponto no fluxo de caixa, e a melhor forma é simulando o que teria acontecido se tivesse comprado índice na data do aporte. Mas é uma simulação meio chata de fazer.

      Abraços

      Excluir
  4. Acho que estes 5 anos ainda não nos dão uma boa visão do nosso desempenho na bolsa, acho que com mais 5 anos poderemos começar a tirar algumas conclusões, eu faço acompanhamento mensal de rentabilidade desde janeiro de 2013 mas o resultado para mim até agora não me diz muita coisa. Principalmente considerando que agora é que estou mais consciente do que fazer na bolsa, posso considerar que os anos anteriores foram praticamente de aprendizado, e a rentabilidade abaixo do CDI foi o "custo do aprendizado."
    Abraço E.I.!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Uó, eu concordo com o que você disse sobre o custo do aprendizado, também tenho esta visão. Sobre as conclusões com 5 ou 10 anos, obviamente daqui a 5 anos teremos conclusões mais precisas sobre a estratégia de longo prazo, mas devo dizer que hoje já me sinto bem feliz em ver que as coisas estão tendo um comportamento mais ou menos dentro do que eu esperava, o que mostra, pelo menos para mim, que a famosa "previsibilidade de longo prazo" na bolsa pode realmente existir.
      Espero estar aqui, com este blog, trocando mensagens com você daqui a 5 anos para chegarmos a novas conclusões, certamente isso significará que passamos mais tempo ainda compartilhando experiências e aprendizado.
      Forte abraço

      Excluir
    2. Opa!
      Também estou feliz, finalmente superei o CDI, kkk. Vamos ver até onde vai isto, dizem que alegria de pobre dura pouco, kkk
      Abraço!

      Excluir
    3. Sim, estaremos juntos nos próximo anos.
      Abraço!

      Excluir

 

Seguir por e-mail

Posts Populares

Blogs Favoritos

Estatísticas