Sumido, eu????

terça-feira, 4 de setembro de 2018

Olá amigos, ando bem sumido deste blog e não posto nada desde fevereiro deste ano, portanto lá se vão mais ou menos 6 meses desde a última postagem.

Não existe uma razão específica para este sumiço, mas sim um conjunto de fatores inter-relacionados que tem me feito adiar novas postagens. Vou tentar explicar um pouco neste post como estão as coisas e de certa forma algumas destas razões serão expostas, mas foram tantas coisas que aconteceram neste período que nem sei se conseguirei colocar tudo num post e nem lembrar de tudo.



Desmotivação com acompanhamento dos investimentos

Algum tempo atrás eu cheguei a postar ou comentar em algum lugar que estava ficando cada vez menos motivado em acompanhar meus investimentos, uma vez que estes estavam entrando em estágio de "cruzeiro", em que assim como os aviões, tudo fica meio estável, sem fortes emoções. Isso de certa forma é bom, pois tenho agido muito pouco com a emoção nas poucas tomadas de decisões.

Invisto em ações desde 2012 (lá se vão 6 anos) e minha carteira de ações tem atualmente 14 empresas (VALE3, ITUB4, GGBR4, NATU3, CCRO3, TIET11, CMIG3, ABEV3, UGPA3, CIEL3, PSSA3, HGTX3, GRND3 e WEGE3), com percentuais estipulados para cada uma delas. A carteira não sofreu alterações significativas nos últimos 4 anos e como uso uma estratégia de alocação de ativos, todos os meses eu compro um pouco daquelas que estão mais para trás do ponto de vista percentual.

Tomei algumas atitudes neste período recente, como vender parte de alguns dos papeis que subiram demais para reequilibrar os percentuais, assim como coloquei empresas em quarentena para novas compras. Por enquanto tudo normal. A carteira não chega a ter uma rentabilidade extraordinária, mas por outro lado tem conseguido acompanhar o Ibovespa (o que não é lá muita coisa).

Bom, diante deste marasmo na carteira, tenho acompanhado muito pouco a rentabilidade. Por exemplo, coisa que antes eu fazia várias vezes ao dia, que era atualizar a planilha e acompanhar a rentabilidade, agora faço somente no final do mês, quando fecho o balanço do meu patrimônio.

Consequentemente isso acabou também me afastando do blog e da blogosfera.

Perdi o emprego

Eu já trabalhava na mesma empresa há mais de 10 anos, e tinha alcançado o auge (literalmente) algum tempo atrás, porém esta empresa passou por algumas fusões internacionais e especialmente em uma das reestruturações recentes eu fiquei em uma situação muito desconfortável com relação aos meus superiores. Como consequência, fui perdendo a motivação com o trabalho, já que não via perspectivas de melhora.

Bem, em maio deste ano eu fui demitido, algo que era totalmente previsível. Como eu estava preparado, não fui pego de surpresa e, pelo contrário, vi como algo positivo. Além de um bom dinheiro relativo a rescisão, FGTS, multa, etc, eu ainda tive a oportunidade de tirar um tempo para minha família, para organizar minhas coisas e até fazer uma viagem sozinho, quase que um retiro espiritual em uma cidade do interior da Espanha.

Ainda não estou trabalhando, mas estou ativamente me esforçando para uma recolocação, e acredito que não tardará para ter boas notícias.

Nota especial: Eu estava escrevendo uma postagem contando a minha trajetória no mundo corporativo, como um complemento a uma postagem que eu havia feito alguns anos atrás. Na ocasião, um dos que me motivaram a escrever foi o Blogueiro Viver de Construção e fiquei devendo complementos da história. Com a triste notícia do falecimento do blogueiro, fiquei muito chateado e sequer continuei com a postagem. Em breve, quem sabe, eu possa voltar a este assunto, mas quero aqui manifestar meus profundos sentimentos para a família do Viver de Construção, que de uma forma bastante autêntica manifestava através de seu blog seus sonhos financeiros e sobretudo de carreira, o qual tive a oportunidade de escrever palavras de apoio algumas vezes. Espero que Deus abençoe esta família e os conforte diante desta perda tão inesperada.

Sobre a perda do emprego, ainda houve uma consequência de ordem prática, pois eu usava um laptop da empresa que eu trabalhava, tanto em casa como no trabalho, e lá eu já tinha um perfil somente para postagens no blog. Depois que saí, tive que devolver o laptop e nunca criei o perfil nos computadores de casa. Hoje, quase 4 meses depois, finalmente tive coragem e sentei para fazer isso na preparação desta postagem.

Busca pela recolocação

Com a perda do emprego, passei a dedicar muito mais tempo a atividades para melhorar a minha chance de recolocação, como networking, atualização de informações e atividades educacionais/de atualização. Como sou da área de tecnologia, é sempre bom buscar atualização e são tantas que não dá para ficar parado.

Neste aspecto, quero destacar aqui as plataformas educacionais disponíveis na maioria das vezes de forma gratuita como edX, Coursera e Udemy, entre outras.

Envolvimento em outras atividades paralelas

Neste período desempregado, acabei me envolvendo mais profundamente em atividades paralelas, como por exemplo no mundo dos e-sports, tanto como jogador como principalmente em atividades de organização de campeonatos, equipes, etc. Honestamente tenho visto muita evolução relacionada a e-sports, como muito dinheiro envolvido e isso seguramente pode ser uma grande oportunidade de negócios.

Me envolvi também em outros projetos, como apoio a um familiar que está desenvolvendo um aplicativo/plataforma tecnológica para administração de um tipo específico de negócio.

Investimentos em renda fixa

Quem acompanha este blog, sabe que o propósito sempre foi detalhar os investimentos em renda variável, especialmente ações, mas eu nunca escondi de ninguém que também tinha investimentos em renda fixa. O fato é que nos últimos anos, apesar de seguir aportando em RV mensalmente, um valor mais ou menos específico, me sobrava muito dinheiro e este fui enviando para a Renda Fixa, mais especificamente Tesouro Direto.

Juntando-se aos aportes dos últimos anos, recebi um bom dinheiro com a rescisão e FGTS, dinheiro estes que teve uma pequena parte em RV (menos de 5%) e a maior parcela em RF. Com isso, a parcela de RV na minha carteira é de menos de 20% do capital investido (acredite, em valores nominais não é pouco). Isso ajudou a deixar a gestão dos investimentos ainda mais monótona.

Independência Financeira

Graças a muita disciplina e uma renda familiar alta nos últimos anos (minha esposa trabalha e tem uma ótima renda também), posso dizer que estamos muito próximos (mas muito mesmo) da independência financeira. O fato de sermos jovens (cerca de 40 anos) e termos filhas ainda crianças, não nos permite simplesmente parar de trabalhar, pois além de termos que diminuir um pouco os gastos, consideramos que a ociosidade seria um desperdício, uma vez que acumulamos experiência importante em nossas área de atuação e não poderíamos simplesmente deixar isso para trás.

Imaginamos sim uma aposentadoria cedo (quem sabe próximo aos 45 anos), mas isso deveria estar conectado com uma vida mais tranquila, quem sabe em uma cidade menor ou até mesmo fora do país, associado a uma atividade ocupacional de menor renda ou ainda em atividades sociais/sem fins lucrativos. Com filhos pequenos é mais complicado colocar em prática estes planos sem comprometer (ou não) o futuro deles.

De qualquer forma ainda precisamos amadurecer a ideia. Este período sem emprego formal está sendo muito bom para este amadurecimento.

Status da carteira

Para quem acompanha a rentabilidade da carteira de ações*, segue uma atualização:

Rentabilidade em Agosto/18: 0,47% (Ibovespa -3,21%)
Acumulado no Ano de 2018: -8,22% (Ibovespa 0,36%)

*Tenho também alocação em renda fixa, mas a carteira com a rentabilidade gerenciada e compartilhada aqui no blog é apenas a carteira de ações, uma vez que o propósito principal do blog é o estudo de investimento no mercado de ações.

Por enquanto estou apanhando do Ibovespa no ano, mas isso não me trás nenhuma preocupação.

Importante:
Este material tem propósito meramente informativo. Não consiste em recomendação financeira ou estratégica para investimentos. Para saber mais sobre as opções de investimento e receber recomendações, procure uma instituição financeira com profissionais habilitados.

14 comentários

  1. Caralho, quem está vivo um dia aparece rsrs...
    Sucesso para vc!

    Bagual

    ResponderExcluir
  2. Parabéns por estar quase na independência financeira, ainda bem novo.

    Espero que consiga logo um bom emprego. Desejo-lhe boa sorte!

    Abraço e bons investimentos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. DIL,
      Obrigado pela mensagem, estive me esforçando nos últimos 20 anos com decisões financeiras conservadoras (por exemplo, sem me meter em dívidas) para alcançar o nível atual. Realmente é bem gratificante.

      Acredito que não demorará muito para conseguir um trabalho, nem que eu tenha que dar um passo atrás na carreira.

      Abraços

      Excluir
  3. Amigo,

    Conheci seu blog hj e li alguns posts passados. Mas me identifiquei muito com seu post hj pois aconteceu coisas parecidos comigo:

    - Fui demitido do meu emprego;
    - Recebi uma boa grana de herança (R$ 3 milhões);
    - Minha esposa tem um salário bom (R$ 13 mil);
    - Temos quase 40 anos sem filhos;
    - Queremos viver dos investimentos com 45 anos e talvez ir morar no exterior.
    No meu caso, estou investindo em FIs e Renda Fixa para conseguir renda passiva. Estou pensando uma tirada de 4% ao ano dos meus rendimentos, conseguindo ter um "salário" de R$ 10 mil.
    No seu caso, qual percentual vc pretende retirar do seus investimentos para viver ?
    Imagino que vc não deve falar em números por questões de privacidade, mas se puder, qual o montante de investimentos vc pretende chegar para conseguir essa aposentadoria ?

    Abs.

    I.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala anonimo, legal saber que chegou somente agora neste blog. Tem um bom conteúdo armazenado, inclusive mostrando a evolução e o amadurecimento no mundo dos investimentos, sobretudo em RV.

      Realmente temos muitas coisas em comum como idade, renda e possivelmente patrimônio. A diferença é que tenho 2 filhas ainda crianças.

      Posso dizer que nossos objetivos são bem parecidos. Tenho perspectiva de uma taxa segura de retirada de 4% ao ano para alcançar o salário proveniente da renda passiva. Estipulei um valor de 10K uns 5 anos atrás e venho corrigindo pela inflação.
      O montante é aquele que permita uma taxa de retirada de 4%, ou seja, na ocasião era 3MM.
      Abraços

      Excluir
    2. o grande problema de ir morar no exterior é que nossa moeda é fraca, portanto com desvalorizações como a que estamos presenciando, fica cada vez mais difícil. se tem planos de ir para o exterior, tem que iniciar uma estratégia de acumular patrimônio em moeda forte. Eu cheguei a pensar nisso 4 anos atrás, após a reeleição da Dilma mas não consegui colocar em prática. Tenho uma parcela pequena do meu patrimônio (menos de 2%) alocada em ativos atrelados ao dólar.
      Abraços

      Excluir
  4. Muita força pra vc meu amigo, e pra família também.
    Essa época de demissão e recolocação é muito dificil, já passei por isso algumas vezes. Espero que encontre o melhor pra vc. Bom que vc já tem um patrimonio e sua esposa trabalha. Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu FS, existem vários aspectos a considerar neste período de recolocação. Do ponto de vista financeiro está mais tranquilo, mas acho que o mais difícil é ficar em casa. Estou bem agitado, arrumando coisas para fazer e fazendo encontros de networking profissional, além de me aprofundar nos estudos.
      Logo-logo voltarei a labuta, não tenho dúvidas.
      Abraços

      Excluir
  5. Bem vindo de volta, EI!

    Fico na torcida pela sua recolocação no mercado de trabalho!

    Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu LdL, toda torcida é válida. Atualizarei aqui quando encontrar algo concreto.
      Abraços

      Excluir
  6. Rapaz, que guinada! Importante que agora você está pronto para uma nova fase de vida e s preparou para sobreviver bem durante a transição.
    Engraçado como chegamos em alguns momentos de vida em que desejamos mudar tudo. Crise dos 40?! rs
    Eu não fui demitido, mesmo porque sou dono de metade da empresa, mas já tem um tempo que tenho vontade de me demitir, rs.
    Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Uó, pois é, a chegada aos 40 foi bem emblemática pra mim. Me dei conta que tenho mais coisas para fazer que possivelmente tempo disponível, o que talvez me obrigue a priorizar os desejos. Ser demitido foi algo muito bom para mim e foi no momento certo. acabei de conseguir uma recolocação mas está difícil "embalar" novamente. De qualquer forma acredito ser uma questão de tempo.
      Aquele outro projeto que discutimos um tempo atrás está andando. Resultados práticos ainda são poucos, mas acredito que esteja amadurecendo.
      Abraços

      Excluir
  7. Grande EI, fiquei muito triste quando li que nosso colega blogueiro VDC faleceu. Nos faz pensar muito sobre para que viemos, e como estamos vivendo o tempo que nos é dado. Quanto a ti, as vezes as mudanças vem para somar positivamente em nossa vida. Algo que não tínhamos coragem de tomar certa decisão, de repente a vida toma por nós, e isso nos fará bem futuramente. O importante é jogarmos com as cartas que nos são dadas. Não deixe de postar aqui no blog, mesmo que raramente. Sigo seu blog há pelo menos 3 anos, e hoje posso dizer que mudei minha visão sobre investimentos. As vezes dou uma rápida olhada nos blogs da finansfera, e vejo que muitos pararam de postar, seja por falta de motivação, ou por medo de serem descobertos. Ainda acesso uma cópia que fizeram do site do Pobreta, e me pego rindo das histórias de sofrimento, e me identifico em várias delas. Acredito que muitos não postaram aqui como eu, mas tenho certeza que a blogosfera das finanças mudou a vida de muita gente, e a forma de como pensar no dinheiro. Um grande abraço pra você, e muito sucesso em sua nova jornada.

    ResponderExcluir

 

Seguir por e-mail

Posts Populares

Blogs Favoritos

Estatísticas